Música

“São todos pedófilos”: Alanis Morissette revela que foi violada aos 15 anos

A revelação feita no novo documentário sobre a cantora confirma as acusações que já tinha feito no passado.
A cantora vai confessar tudo

Mais clara do que isto, seria impossível. A cantora canadiana de 47 anos abriu-se numa entrevista para um novo documentário sobre o seu maior sucesso, o disco “The Jagged Little Pill”, e fez revelações chocantes sobre a sua adolescência.

“Precisei de vários anos de terapia para admitir sequer existir algum tipo de vitimização da minha parte”, explicou no documentário que fez a sua estreia a 13 de setembro no Festival de Cinema de Toronto. “Agora sim, sei que são todos pedófilos. Era uma violação.”

A atriz refere-se a várias relações que terá tido ainda no Canadá, onde nasceu e se tornou numa estrela pop com apenas 15 anos. À época, a idade legal de consentimento estava estabelecida nos 14 anos, mas era particularmente menos flexível no caso de existir, entre ambos, uma “relação de confiança, autoridade ou dependência”.

No documentário, Morissette não divulga nomes, mas explica que terá sido abusada por mais do que um homem. “Cheguei a contar a algumas pessoas, mas ninguém me ligou”, confessou.

“Jagged”, realizado por Alison Klayman, foca-se no disco lançado em 1995 e como ele tornou Morissette numa estrela mundial. O álbum vendeu mais de 33 milhões de cópias.

As revelações feitas no filme não são completamente inéditas. Por várias vezes a cantora falou sobre a forma como a fama precoce a afetou. “Já viajava sozinha desde os 10 anos. Ia para gravações de videoclipes para a Europa na companhia de quatro homens, tinha eu 14 anos. Toda a gente dizia ‘ela vai dar-se lindamente’. Entretanto, eu roía as unhas todas, vomitava e enfrentava histórias de abuso sexual, tudo isto ao longo de toda a minha adolescência”, revelou em entrevista ao “The New York Times”.

Foi nessa entrevista ao diário norte-americano que comentou os supostos abusos de que foi vítima às mãos de um homem mais velho.

“Penso que pode ser categorizado assim [como violação]. Mas ao mesmo tempo, não sou muito de colocar as coisas em categorias. Sou o tipo de pessoa que diz: ‘temos passado alguns momentos românticos’ ao invés de chamar a alguém ‘o meu namorado’. Portanto direi que ‘foi alguém com quem me envolvi romanticamente, numa altura em que não estava emocionalmente preparada para isso’, por oposição a qualificá-lo como ‘uma violação de uma menor’.”

A vida de Morissette ficou também marcada pelos distúrbios alimentares e por graves depressões, provocadas pelas sucessivas gravidezes já perto dos 40. Recorde o artigo da NiT sobre a vida atribulada da cantora.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT