Teatro e exposições

84 galerias e 470 artistas de 15 países: a ARCOlisboa chegou à Cordoaria Nacional

Será o segundo momento da Feira Internacional de Arte Contemporânea, que começou na capital espanhola em fevereiro.
Será a sétima edição do evento.

Primeiro Madrid, agora Lisboa. A Feira Internacional de Arte Contemporânea instalou-se na Cordoaria Nacional, para a segunda parte do evento que começou na capital espanhola em fevereiro.

A sétima edição da ARCOlisboa decorre entre 23 a 26 de maio e reúne 84 galerias, 470 artistas de 15 países e mais de 190 colecionadores e profissionais. O primeiro dia (quinta-feira, 23) é reservado aos especialistas e só depois abrira aberto ao público.

“Ambas as feiras reúnem galerias, artistas, profissionais e instituições, transformando os dois locais em epicentros da arte contemporânea e do seu mercado”, lê-se no site do evento. Desta vez, irá contar com galerias nacionais e internacionais, com um enfoque especial em duas principais secções. “As formas do Oceano”, comissariada por Paula Nascimento e Igor Simões, que irá apresentar projetos centrados nas “relações entre África e a diáspora africana e outras latitudes”. 

Por sua vez, “Opening”, comissariada por Chus Martínez e Luiza Teixeira de Freitas, explora novas linguagens e espaços artísticos, de modo a trazer conteúdos e pesquisas inovadores para a feira. De certo modo, é uma secção dedicada às galerias mais jovens, composta por nomes emergentes.

Além de se tratar de uma oportunidade para conhecer obras contemporâneas, a Feira tem também várias propostas para quem ambiciona começar uma coleção ou ampliar a que já tem. Há algumas peças a menos de mil euros, várias a rondar os dois mil, e com um orçamento de cinco mil é possível adquirir trabalhos de artistas consagrados.

“Há o estigma de que a arte contemporânea é toda muito cara. Não é verdade”, sublinhou Jorge Viegas, um dos sócios da galeria 3+1 e presidente da Exhibitio – Associação Lusa de Galeristas, ao “Público”. Para começar uma coleção da forma certa “a questão estética da obra com que vão conviver tem de existir sempre” — as peças não vão ficar guardadas num armazém, mas em casa.

A ARCOlisboa pode ser uma boa oportunidade para dar início a tal ambição, começando por comprar obras de artistas emergentes. “Há uma identificação com as mesmas preocupações. Há um link mais fácil.”

Os bilhetes podem-se adquirir online, por 20€, mas se os comprar na bilheteira física aumenta para os 25€. No entanto, há 30 por cento de desconto para estudantes e pessoas com mais de 65 anos.  aNo sábado (25), a partir das 15 horas, a entrada é gratuita para menores de 25 anos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT