Teatro e exposições

Braga vai receber musical sobre a vida de Anne Frank

É o primeiro espetáculo deste estilo em Portugal a inspirar-se na jovem que morreu aos 16 anos enquanto se escondia dos nazis.
É uma história verdadeira e arrepiante. Fotografia: Maria Maricato.

Para muitos, a arrepiante história de Anne Frank é o primeiro contacto que têm com o Holocausto e com os horrores que mataram milhões de pessoas. O diário da rapariga que morreu aos 16 anos já foi traduzido para 70 idiomas e vendeu 30 milhões de cópias, que a tornou numa das obras mais populares da história. 

É essa história que a 12 de abril dá origem a um musical que vai chegar ao Grande Auditório da Altice Forum Braga. A peça estreou no Coliseu do Porto em março e, agora, regressa aos palcos no mês em que Portugal celebra os 50 anos do 25 de abril.

Depois da passagem por Braga, a proposta do grupo Plateia d’Emoções volta a rumar ao Porto para três apresentações (a 23 e 24 para escolas e 25 para o público geral) no Grande Auditório do Vilar Oporto Hotel, um dos maiores e mais modernos espaços culturais da cidade, com capacidade para cerca de 1.300 pessoas.

“Baseada no diário da jovem de origem judaica vítima do Holocausto, a peça é a primeira de envergadura em Portugal em formato de teatro musical, tendo por base aquele que é, talvez, o diário mais famoso do mundo. Uma obra que inspirou a companhia de Vila Nova de Gaia numa produção original, com 16 atores em cena e o trabalho de um total de 30 profissionais de diferentes áreas técnicas”, explica a organização.

A cenografia da peça reconstitui o anexo secreto, que hoje é uma casa-museu, onde Anne Frank se refugiou durante mais de dois anos em Amesterdão, juntamente com mais sete pessoas.

Com texto e letras originais de Hélder Reis, o espetáculo apresenta a autora alemã “como nunca foi mostrada”, tal como descreve Fernando Tavares, fundador e diretor artístico da companhia. Ao longo das sessões, o elenco faz paralelismos com o que se passa atualmente no mundo.

As dez canções originais foram escritas por André Ramos, que no passado já trabalhou em musicais como “Fame”, “Scents of Light”, “Rent”, “Grease”, “Lion King” e “Jesus Christ Superstar”. O músico também passou por grupos como a London Symphony Orchestra, Philharmonia Orchestra, London Arts Orchestra e Hong Kong Sinfonietta.

“Queremos cultivar o hábito de ir ao teatro e é por isso, também, que não levamos as nossas peças às escolas, mas sim a instalações com todas as condições técnicas para a arte cénica desenvolver-se com a qualidade que os públicos merecem”, sublinha Fernando Tavares.

Os bilhetes podem ser adquiridos online e custam 18€ para a 1.ª plateia e 20€ para a 2.ª plateia.

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT