Teatro e exposições

A nova obra de Vhils é uma explosão de 2 segundos

"Fim da Era Industrial" será apenas vendido no mercado digital.
As explosões e ruínas fazem parte da nova obra de Vhils.

Há quinze anos que o artista Vhils (nome artístico de Alexandre Farto) tem encantado no mundo da arte, seja pela mensagem que passa, pelas técnicas implementadas ou pelo rigor das suas obras. O artista centra-se principalmente nos rostos humanos — e volta a ser esse o foco de uma nova peça de Vhils, que contém também pirotecnia.

“Fim da Era Industrial” teve como palco os edifícios em ruínas da zona industrial do Barreiro que, segundo a publicação no Instagram, “no seu pico empregou uma força de trabalho de mais de 8000 pessoas”. O artista explica que este projeto é uma homenagem a todos eles “mas é também um testamento à efemeridade, mesmo nas maiores e mais complexas infraestruturas industriais”.

Na publicação de Vhils podemos ver a obra. Com o recurso aos explosivos é revelado o rosto de alguém, que, neste caso, é um antigo operário local, que é só visível durante frações de segundo, antes da própria parede onde foi desenhado ser derrubada.

“Os 150 segundos do vídeo representam, na verdade, apenas dois segundos”, revela o artista. Foi graças a uma câmara que filma 2000 frames por segundo que se tornou possível a concretização da peça. Esta será agora vendida como NFT no mercado digital das criptomoedas, num leilão organizado pela Niffy Gateway que acontece já a 23 de junho.

No leilão, além do vídeo, serão apresentados vários destroços da explosão, que acabaram por ser recolhidos e esculpidos a laser e à mão. Por último, o leilão digital vai incluir uma peça física que será oferecida gratuitamente.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT