« A conta de Instagram que mostra histórias de portugueses afetados pela pandemia

Carolina

“Nos últimos quatro anos trabalhei como produtora de eventos, trabalhava numa empresa que fazia principalmente eventos corporativos. Curiosamente, em janeiro fui despedida. Ainda não tinha o COVID chegado até aqui, ainda não estávamos minimamente a par do que poderia acontecer, que estava a ter impacto na China mas ainda não tinha chegado cá… E a minha reacção desde que soube que ia deixar o meu trabalho foi “não estou preocupada porque com a experiência que já tenho dos últimos anos acho que facilmente consigo arranjar trabalho” e com os conhecimentos que fiz achei que não seria mesmo problemático. Comecei logo a fazer alguns contactos… Só que, entretanto, caiu toda esta situação do vírus, o que complicou um bocadinho a procura de trabalho, principalmente na área dos eventos, porque… deixou de haver eventos. Mesmo empresas que estavam a contratar, e eu sabia de algumas que estavam a contratar, pararam imediatamente as contratações, porque, lá está, deixou de haver eventos. Foi uma das principais áreas afectadas, além do turismo. Tive que meter na cabeça que isto ia mesmo parar e que não havia nada que eu pudesse fazer de imediato para mudar a minha situação de desempregada. Neste momento resta-me é esperar para ver se o mercado volta a abrir, mas acho que não vai ser tão rapidamente."

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT