Teatro e exposições

Está resolvido o mistério: a mensagem secreta que Munch escreveu em “O Grito”

Durante várias décadas, uma frase escrita na pintura foi atribuída a um ato de vandalismo. Agora concluiu-se que foi o artista.
A série de quadros foi pintada em 1893.

Já foi há mais de 100 anos que o pintor norueguês Edvard Munch pintou “O Grito”, que se tornou um dos quadros mais famosos de sempre (na verdade são um conjunto de quatro pinturas, com ligeiras alterações). A obra sempre teve uma frase enigmática, quase invisível, inscrita no canto superior esquerdo — “Só pode ter sido pintado por um louco”.

Durante várias décadas, os investigadores de história da arte e os fãs em geral atribuíram esta frase a um ato de vandalismo que alguém teria cometido. Esta segunda-feira, 22 de fevereiro, chegou-se à conclusão de que foi o próprio Edvard Munch quem a escreveu.

A nova investigação foi realizada pelo Museu Nacional da Noruega. Durante o mais recente restauro, foi utilizada a tecnologia de infravermelhos para analisar a frase. A caligrafia foi comparada com cartas e notas escritas por Munch e chegou-se à tal conclusão.

“A caligrafia é sem dúvida do próprio Munch”, garante a curadora do museu, Mai Britt Guleng, citada pela CNN. “Tanto a caligrafia como os eventos que aconteceram em 1895, quando Munch exibiu o quadro pela primeira vez na Noruega, apontam todos na mesma direção.”

Os especialistas acreditam que foi uma reação do pintor aos críticos que duvidavam da sua saúde mental na altura, depois de terem visto o quadro. Depois do atual restauro, “O Grito” deverá voltar a ser exibido — algo que acontece raramente desde 2004, altura em que foi roubado (e pouco tempo depois recuperado) e sofreu alguns danos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT