Teatro e exposições

Homenagem a Ruy de Carvalho na programação do Teatro Nacional D. Maria II

Concertos, workshops e leituras encenadas também fazem parte do calendário de atividades para a Nova Temporada do espaço cultural.
Saiba o que esperar.

O Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, está prestes a fechar para obras que devem durar mais de um ano. Antes do fecho, contudo, haverá tempo para as apresentações da chamada Nova Temporada, que decorre de setembro a dezembro e prevê a realização de oito espetáculos — quatro produzidos ou coproduzidos pelo mesmo e quatro internacionais.

A programação arranca com “Casa Portuguesa”, a primeira criação de Pedro Penim enquanto diretor artístico do D. Maria II. Esta “conta a história (ficcional) de um ex-soldado da Guerra Colonial que, dialogando com os seus fantasmas, se vê confrontado com a decadência e a transformação do ideal de casa, de família, de País e do cânone da figura paterna”, lê-se no dossier de imprensa.

No fundo, trata-se de “um retrato do que foi, do que é e do que poderá ser (ou não ser) a célula familiar patriarcal por excelência, a casa, tendo como pano de fundo os acontecimentos recentes da nossa democracia e revisitando a mais dolorosa das feridas abertas da nossa história”. Vai estar em cena até 16 de outubro, de quarta-feira a sábado, às 19 horas, e ao domingo, às 16.

Outro espetáculo a não perder é “Ça ira (1) Fin de Louis”, uma ficção política contemporânea do criador francês Joël Pommerat, que se inspira no processo revolucionário de 1789 e conta a história dessa luta pela democracia. Vai poder vê-la de 28 a 30 de outubro. Às sextas e sábados, arranca às 19 horas. Ao domingo, começa às 16.

No calendário de atividades há ainda espaço para o ciclo “Antecipar o Futuro”, “um programa de cultura contemporânea, dedicado ao pensamento, à política, à tecnologia e à arte que há de vir”, com concertos, workshops, palestras e instalações.

Com o texto de teatro como foco, vão desenvolver-se também duas atividades que se baseiam em leituras encenadas. Uma delas, a propósito das Comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil, leva quatro textos da dramaturgia brasileira ao Salão Nobre Ageas. São eles “O Beijo no Asfalto” (1 de outubro), “Auto da Compadecida” (8), “Agreste” (15) e “Fala Baixo Senão Eu Grito” (22).

Da Nova Temporada vale, igualmente, destacar a homenagem a Ruy de Carvalho pelos seus 80 anos de carreira. Está marcada para 26 de novembro. A programação completa está disponível online, bem como os bilhetes para as várias iniciativas. Algumas são de entrada livre.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT