Teatro e exposições

O novo museu Berardo abre em Lisboa este sábado (veja as nossas imagens exclusivas)

A entrada é gratuita até ao final de maio. O espaço dedicado à Arte Nova e Arte Deco vai contar com um jardim com esplanada.
Tem vários tipos de peças.

O edifício no número 28 da Rua 1.º de Maio, em Lisboa, foi construído na primeira metade do século XVIII. Foi a casa de verão do Marquês de Abrantes, mais tarde o imóvel foi adquirido e ampliado pela família de António Flores (um dos pioneiros da neurologia em Portugal) e foi ainda a morada de um cônsul russo.

Agora, é o Berardo — Museu Arte Deco (B-MAD), o novo museu do empresário e colecionador português Joe Berardo. O espaço na zona de Alcântara vai ser inaugurado esta sexta-feira, 23 de abril, e abre ao público a partir de sábado, dia 24.

Até ao final de maio, tem entrada gratuita — e ainda não se sabe quanto vão custar os bilhetes depois disso. Numa fase inicial, as visitas vão ser feitas em grupos de, no máximo, dez pessoas, que serão acompanhadas por um guia. A receção, que acolhe os visitantes, é ao mesmo tempo uma loja, onde é possível comprar os vinhos das marcas de Joe Berardo, como os da Quinta da Bacalhôa.

A exposição inicial inclui peças de Arte Nova e Arte Deco — divididas no espaço por um portão de ferro forjado —, algumas das quais foram adquiridas recentemente. Outras chegaram à posse de Joe Berardo durante a década de 90.

A abertura do museu estava inicialmente prevista para 2017, mas teve sucessivos adiamentos por causa das obras. A primeira mostra foi comissariada por Márcio Alves Roiter, fundador e presidente do Instituto Art Déco Brasil, no Rio de Janeiro, Brasil; e por Emmanuel Bréon, especialista em arte dos anos 20 e 30, e antigo diretor do Musée des Années 30, em Paris, França.

Vai poder ver obras de arte de nomes como Jacques-Émile Ruhlmann, Alfred Porteneuve, Jean-Michel Frank, Jacques Adnet, Leleu, Sornay, Dufrêne, Follot, Jallot, Majorelle, Kiss, René Lalique, Brant, Puiforcat e Perzel. Algumas delas já tinham sido apresentadas ao público em exposições promovidas pelo empresário português. São peças de mobiliário, candeeiros, esculturas, pratas, desenhos ou outros géneros de obras.

Nos últimos anos Joe Berardo abriu outro museu, dedicado ao azulejo, em Estremoz. Aconteceu já depois de 2018, quando vieram a público as alegadas dívidas à banca do empresário no valor de 962 milhões de euros.

O novo espaço vai ter um jardim com esplanada e vai estar em funcionamento todos os dias das 10 às 19 horas.

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo B-MAD.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT