Teatro e exposições

A praça de touros mais antiga do País vai ser transformada num centro cultural

Fica na aldeia da Azaruja, nos arredores de Évora. E não voltará a receber espetáculos com toureiros.
Acabaram as touradas.

Foi construída há mais de 160 anos e é a praça de touros mais antiga do País. Durante décadas, a aldeia da Azaruja, nos arredores de Évora, recebeu inúmeras touradas, até cair no esquecimento. Hoje é apenas um local em ruínas mas está prestes a ser completamente requalificado. A boa notícia é que não vai voltar a receber corridas de touros, já que se vai transformar num espaço cultural.

O projeto está a ser dinamizado pela Zaratan, a associação que está a angariar verbas para pôr de pé a renovação do espaço. A Zaratan é um espaço gerido por artistas e uma associação cultural sem fins lucrativos que nasceu há quase 7 anos. 

“Estamos agora a apontar para as estrelas: neste caso, a reconstrução da Praça de Touros da Azaruja e dar-lhe uma nova vida como plataforma artística e cultural”, explica a associação na sua página. Quando a requalificação estiver completa, adianta a Zaratan, a antiga praça de touros vai receber “festivais, performances, eventos multimédia, redes de trabalho, de criação e de formação”, num espaço que terá uma área superior a dois mil metros quadrados.

O novo espaço funcionará como uma estrutura dinâmica para a produção de obras e eventos multidisciplinares nas áreas das artes. “Receberemos criadores nas várias fases da carreira, desde artistas emergentes a artistas mais consolidados, priorizando a qualificação dos mais jovens”, explica ainda a associação, que pede a ajuda de todos para “transformar este espaço de um lugar de cultura agonística e combate, para um lugar de convívio e partilha de valores culturais”.

É assim que será o novo espaço.

Com capacidade para cerca de 1.500 espectadores, alguns estudiosos referem-se a este edifício como a primeira Praça de Touros portuguesa edificada. Depois de muitos anos de glória, a sua última utilização foi como fábrica de cortiça, que provocou danos à sua estrutura, dando início a um processo de degradação a que esteve exposta nos últimos 15 anos.

Para saber como pode contribuir para este projeto, basta visitar o site da Zaratan.

A antiga praça de touros está em ruínas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT