Televisão

10 momentos épicos e bizarros de televisão que marcaram o ano em Portugal

A lista é do humorista e cronista Miguel Lambertini. Vai desde os sermões de Rodrigo Guedes de Carvalho a Cláudio Ramos no “Big Brother”.
Cláudio Ramos é um dos protagonistas.

Apesar de parecer que teve 4365 dias, o ano de 2020 está finalmente a chegar ao fim. Por isso, chegou também o momento de fazer aquilo que é hábito nesta altura — e não, não é esperar quatro horas à porta do Colombo para comprar presentes — que é um balanço dos melhores momentos de televisão deste ano. E não são muitos, e não são poucos, não é? Bastantes.

Mas como não quero maçar as pessoas, escolhi os dez que me parecem ser os mais emblemáticos e virais. Na verdade são os que a minha cabeça de alho chocho conseguiu recordar. Gostava de desenvolver um pouco mais esta introdução mas vou ter de abandonar porque tenho uma consulta às cinco e meia, de maneira que não posso estar aqui. Um abraço e um Natal com muita saúde para todos, e de preferência sem grandes patites.  

Os sermões de Rodrigo Guedes de Carvalho 

Há duas coisas que ninguém se vai esquecer deste ano de pandemia. Os diretos de Instagram do Bruno Nogueira e os diretos do Jornal da Noite do Rodrigo Guedes de Carvalho. Com a sua famosa frase “tenham noção”, foi o homem certo na hora certa e deu-nos a todos nas orelhas quando era preciso. Ainda hoje, quando às vezes estou no sofá e o Rodrigo Guedes de Carvalho começa a falar, dou por mim a tirar os pés de cima da mesa enquanto peço desculpa à televisão. 

 

Dra. Graça “Copperfield” Freitas

Graça Freitas fez o que pôde durante uma das maiores crises sanitárias de sempre — inclusive truques de magia — e é de louvar a sua dedicação enquanto responsável máxima da DGS. Esteve bem em todos os momentos? Não esteve, mas ninguém queria estar na sua pele e pelo menos não nos mandou fazer compotas como o outro senhor da bigodaça à Rei D. Carlos.  

RAP em casa

Esta lista não podia deixar de fora aquele que foi um dos momentos mais virais deste ano e que é de certa forma uma bela homenagem ao profissionalismo e dedicação de todos os professores durante esta pandemia. A prestação das professoras de inglês no Estudo em Casa foi tão impactante que surgiu inclusivamente num segmento do programa da Ellen DeGeneres. A Capicua que se cuide porque esta professora manda cenário, yo. 

Cláudio Ramos no “Big Brother”

Pensei em selecionar o momento em que o apresentador chamou aos berros pela concorrente Noélia, como se ela estivesse a fugir com o último par de chinelos do Lidl. Mas depois cheguei à conclusão de que só esse não bastava porque toda a prestação de Cláudio Ramos é digna de registo. O apresentador começou tímido, mas aos poucos soltou-se e é dele, com todo o mérito, grande parte do sucesso daquela edição histórica do “BB”. Dito isto, é importante alertar aos leitores mais sensíveis que há partes deste vídeo onde o Cláudio Ramos tenta cantar.

Pra Cima de Genial

Foi sem dúvida um dos melhores momentos de televisão deste ano. Depois da saída abrupta de Cristina Ferreira, a SIC ficou com um cenário feito à medida da apresentadora, mas sem a estrela da companhia. Felizmente o Senhor nosso Deus criou a Joana Pais de Brito e a atriz transformou-se na Cristina, num momento pra cima de genial. 

D. Fernanda tem mais que fazer

Durante a emissão do jornal na RTP3, uma senhora que estava a fazer a limpeza do estúdio passou tranquilamente por trás da cadeira da pivô Cristina Esteves. A jornalista não conteve a sua estupefação e repreendeu a senhora.

Coitada, já não basta ter de estar a tentar desinfetar o espaço com uma quantidade de gente e cabos pelo meio a atrapalhar e ainda tinha de estar a ver onde é que estavam as câmaras, era o que faltava. Se fosse eu no lugar da senhora provavelmente ainda passava um paninho na lente só para garantir que não estava embaciada. Bom, pelo menos não estava a trabalhar na CMTV, porque aí, sim, tinha muita porcaria para limpar. 

1002 maneiras de fazer Bacalhau

Diana Chaves quis partilhar com os espectadores do programa da manhã da SIC a sua receita de bacalhau à Brás, mas a boca fugiu-lhe para o… saiu-lhe outra palavra. Não sou grande adepto de bacalhau à Brás, já bacalhau à broche confesso que nunca experimentei mas os meus pais sempre me disseram que devia fazer um esforço para educar o palato. Por isso, obrigado pela sugestão, Diana. Quem sabe não será uma boa opção para uma consoada mais divertida. 

Querido, desampara-me a loja

Francisco Rodrigues dos Santos foi dar o seu apoio aos manifestantes do movimento “A Pão e Água” mas o chef Ljubomir mandou-o embora, dirigindo-se ao líder do CDS por “querido”. Para quem estava há seis dias sem comer, Ljubomir até foi muito afável. Eu fico sem tomar o pequeno-almoço e transformo-me num ogre, nem quero imaginar seis dias em greve de fome. Provavelmente chamava “querido” ao Chicão enquanto o salteava em redução de vinho do Porto.

Cláudio França, o pivô de rastas

Pela primeira vez, na história da televisão portuguesa, um jornalista negro e com rastas apresenta o telejornal. Eu vi em direto e senti uma satisfação enorme e a noção de que estávamos a dar um passo importante que, infelizmente, devia ser muito mais comum. Mas acima de tudo senti alguma inveja, porque gostava de ter metade do estilo que tem o Cláudio. É que nem toda a gente faz um nó de gravata daqueles. O raio do miúdo, tem pinta pá. 

O Presidente vai nu

Não foi a primeira vez que Marcelo Rebelo de Sousa mostrou as mamocas na televisão e suspeito que não será a última. Desde o tempo em que achou que era boa ideia mergulhar no rio Tejo até às suas inúmeras entrevistas na praia, o presidente já mostrou tantas vezes os seios que qualquer dia muda o nome para Marmelo. O que vale é que, a avaliar pelas sondagens, ninguém leva a peito.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT