Televisão

A ginasta Sofia Rolão recebeu o segundo botão dourado do “Got Talent Portugal”

A concorrente tem agora acesso direto às finais do concurso de talentos da RTP1, com mais uma exibição que deixou os jurados incrédulos.
A ginasta teve mais uma exibição espetacular.

Da última vez, perante a atuação da ginasta acrobática Sofia Rolão, o jurado Manuel Moura dos Santos ficou sem palavras, restando-lhe apenas a capacidade física mínima necessária para carregar no botão dourado do “Got Talent Portugal”. Agora, cerca de um mês e meio depois, o resultado no passado domingo, a 3 de março, foi semelhante junto do júri do programa da RTP.

“Foi sublime”, limitou-se a dizer Rui Massena, após todos os jurados — Inês Aires Pereira, Manuel Moura dos Santos e Filmonea Cautela — terem concordado que se tratou de uma exibição simplesmente perfeita. Sofia Rolão apresentou uma mistura das mais complexas e espetaculares acrobacias suspensas, enquanto era acompanhada por uma música que aumentava o “suspense” de toda a atuação, culminando num tiro de arco e flecha com os pés. 

Tal como na apresentação original da ginasta no concurso de talentos, a 14 de janeiro, o botão dá acesso direto às fases seguintes do concurso. Neste caso, a super vantagem concedida pelo júri, logo na primeira gala em direto, permite uma passagem à grande final do “Got Talent Portugal”, que terá lugar no próximo mês de abril.

O desempenho é produto de “um trabalho com muitos anos”. Sofia começou a praticar ginástica acrobática logo aos seis anos. Quando entrou pela primeira vez no Ginásio Clube Português, em Lisboa, estava longe de imaginar que a modalidade iria definir a sua vida.

“Os 12 anos que se seguiram foram passados a conciliar a ginástica com tudo o resto. Treinava cinco horas por dia e, mais tarde, comecei a participar em competições”, contou em entrevista à NiT, a 31 de janeiro.

Sofia Rolão participou em várias provas internacionais e até ganhou alguns títulos. Porém, embora adorasse as apresentações, não gostava da pressão associada a cada uma. “Comecei a perceber que gostava de aproveitar aqueles momentos, mas sem a parte competitiva. Não era para mim. Acabei por deixar essa vertente e passei frequentar aulas de performance que envolviam ginástica. Ali, sim, sentia-me plenamente realizada. Gostava da adrenalina e não ficava ansiosa”, explica a atleta de 27 anos. Um dos companheiros dos tempos das competições começou a fazer espetáculos no estrangeiro e não descansou enquanto não convenceu Sofia a fazer o mesmo.

“Prometi-lhe que quando concluísse a licenciatura em Ciências do Desporto, iria acompanhá-lo, mas apenas se tivesse algo determinado.” Tudo se encaminhou nesse sentido e, em março de 2020, a ginasta assinou o primeiro contrato com uma companhia. Rumou a Maiorca, em Espanha, mas duas semanas depois a pandemia fê-la regressar.

Deixar o que tinha acabado de conquistar foi difícil, sobretudo porque tinha sido uma decisão difícil de tomar. Mas não desistiu. Focou-se nos treinos e assim que abriram as fronteiras, voltou para Maiorca. Conseguiu estrear um espetáculo, que saiu de cena abruptamente, mais uma vez devido à Covid-19. O destino parecia contrariar a vontade de Sofia, que decidiu passar o resto do verão na ilha espanhola. Acabou por ser contratada por outra companhia e realizou alguns eventos pequenos por lá.

Em setembro do ano passado, regressou a Portugal decidida a focar-se no hand balance. “Montei um número e tive a oportunidade de atuar na Passagem de Ano na Madeira. Pouco depois fui contratada para fazer alguns espetáculos no Dubai. Entretanto, voltei para Maiorca, onde tenho estado nos últimos tempos”.

Sabendo que em Portugal não se consegue “viver confortavelmente” da ginástica, Sofia faz do mundo a sua casa. Além de Espanha, já viveu na Alemanha, por exemplo.

Um estilo de vida sem excessos

“Olha para aquele corpaço”, realçou a jurada Inês Aires Pereira, durante a atuação de estreia de Sofia Rolão. A forma da acrobata não deixa ninguém indiferente. E o que faz para conseguir estar tão tonificada? “São muitos anos de treino”. E muita disciplina, claro.

Sofia treina seis vezes por semana e faz dois tipos de sessões. “No mínimo, tiro duas horas para treinar. Divido esse tempo entre movimentos de flexibilidade e outros mais técnicos que me ajudam nos espetáculos.” Praticar não é uma obrigação, pelo contrário. Nesses períodos, Sofia aproveita para meditar e pensar na vida. “Há semanas que nem tiro folgas dos treinos, mas faço sessões mais curtas, por exemplo.”

Quanto à alimentação, também segue algumas regras, embora admita que, como em tudo o que faz na vida, mantém um equilíbrio saudável. “Os excessos são sempre maus, por isso, desvio-me deles. Seja no treino, ou na alimentação. Só tenho duas restrições: ao glúten e à lactose, porque sou intolerante. Fora isso, como de tudo, de forma saudável e sem paranoias. Ocasionalmente, por exemplo, vou ao Mc Donald’s”.

Os planos da ginasta

Sofia Rolão foi organizando a sua vida e carreira consoante as datas das galas do “Got Talent Portugal”, sem deixar de fazer os espetáculos na sala House of Son Amar, em Palma de Maiorca. Sobre o futuro incerto na ginástica, a acrobata garante que neste momento está completamente focada carreira, mas tem noção de que esta não irá durar para sempre.

“No futuro, caso seja possível, vejo-me a ser treinadora de ginástica. Se não der, viro-me para outro lado, sem medo. Já trabalhei no ramo imobiliário com o meu pai e também na restauração, por isso, alguma coisa surgirá. Se deixar a ginástica posso sempre alugar ou vender casas”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT