Televisão

A Martha real de “Baby Reindeer” vai processar a Netflix — e pede 158 milhões

Fiona Harvey acusa Richard Gadd e a plataforma de lhe destruírem a vida. “É a maior mentira na história da televisão.”
A stalker real desmentiu toda a história da série estreada este ano.

Fiona Harvey, a mulher escocesa que diz ser ter sido a inspiração da stalker protagonista de “Baby Reindeer”, a série de sucesso da Netflix, decidiu processar a plataforma e exigir uma indemnização de pelo menos 158 milhões de euros.

Harvey afirmou publicamente que a personagem Martha, interpretada por Jessica Gunning, se baseia na sua própria pessoa e, dessa forma, alega que está a ser vítima de difamação, sofrimento emocional e negligência. A ação foi apresentada num tribunal da Califórnia. No processo, acusa a Netflix de espalhar “mentiras brutais”.

“As mentiras que contaram sobre Harvey a mais de 50 milhões de pessoas alegam que é uma perseguidora condenada duas vezes, que foi sentenciada a cinco anos de prisão, e que agrediu sexualmente Gadd”, revela o texto. “Contaram essas mentiras e nunca se retrataram, porque essa narrativa era melhor do que a verdade. E as boas histórias geram dinheiro.”

O processo continua: “Como resultado das mentiras, má conduta e comportamento totalmente imprudente, a vida de Harvey foi arruinada. A Netflix e Gadd destruíram a sua reputação, o seu caráter e a sua vida.” Num comunicado de resposta, a Netflix anunciou que pretende defender “o direito de Richard Gadd contar a sua história”.

Logo no primeiro episódio, a série revela que se trata de “uma história verídica”. Harvey diz tratar-se “da maior mentira na história da televisão”. “É uma mentira contada pela Netflix e pelo criador do programa, Richard Gadd, por ganância e desejo de fama; uma mentira projetada para atrair mais espectadores, obter mais atenção, ganhar mais dinheiro e destruir impiedosamente a vida de Fiona Harvey — uma mulher inocente difamada pela Netflix e por Gadd numa magnitude e escala sem precedentes.”

“Baby Reindeer” chegou à plataforma a 11 de abril, inspirada na peça solo de Gadd exibida no Festival de Edimburgo. Rapidamente se tornou num sucesso. Na série, Gadd interpreta uma versão ficcional de si próprio, uma personagem de nome Donny Dunn. A minissérie de sete episódios acompanha Dunn enquanto ele tenta deixar a profissão de barman para seguir a carreira de comediante. Pelo caminho atrai uma perseguidora obsessiva chamada Martha, que lhe envia milhares de e-mails e assedia a sua família e namorada.

Embora Gadd tenha dito em entrevistas que alterou detalhes identificativos sobre a verdadeira Martha, a Internet rapidamente descobriu Harvey e as muitas interações frequentes que revelava nas redes sociais de Gadd durante o período em que a série se passa.

“Fóruns da Internet, como Reddit e TikTok, revelaram milhares de utilizadores à procura de identificar Harvey como a verdadeira Martha”, nota o processo que deu entrada em tribunal.

Pouco depois do lançamento da série, Harvey foi convidada no programa de Piers Morgan, onde revelou que estaria a considerar tomar medidas legais contra Gadd e a Netflix. Na mesma conversa, negou ter enviado mais de 40 mil e-mails a Gadd, como foi retratado na produção televisiva. “É uma obra de hipérbole”, acusou.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT