Televisão

A nova série de sci-fi “Constellation” é uma espécie de reunião de “Breaking Bad”

A produção da Apple TV+ também inclui influências de outros géneros, do terror ao thriller. Conta com Jonathan Banks no elenco.
Jonathan Banks é um dos protagonistas.

Para se preparar para “O Maquinista”, Christian Bale perdeu cerca de 30 quilos e quase que deixou de comer. Já para interpretar Katniss Everdeen na saga “The Hunger Games”, a atriz Jennifer Lawrence aprendeu a usar o arco e flecha. Muitas estrelas de Hollywood fazem o que for preciso para darem vida a novas personagens.

Noomi Rapace seguiu esta espécie de tendência (que, na verdade, é algo comum há muitos anos) para encarnar Jo Ericsson em “Constellation“, série de oito episódios que chegou esta terça-feira, 20 de fevereiro, à Apple TV+.

Em algumas cenas, a sua personagem está em gravidade zero. Durante as gravações, a atriz sueca de 44 anos estava presa por um arnês, e tinha de manter o equilíbrio durante horas a fio.

“Foi muito difícil a nível físico. Tive de ter muito cuidado com o que comia e treinava todos os dias para fortalecer o tronco e o meu balanço. Felizmente, tinha uma ótima equipa à minha volta”, conta ao site MovieWeb.

O processo demorou alguns meses, e acabou por afetar a sua vida mesmo quando não fazia exercício físico. “Durante a noite, sonhava que flutuava e tentava voltar para a minha cama. Afetou-me imenso”, brinca.

“Depois de um longo período no espaço — e após um grande desastre — Jo regressa à Terra. Quando chega, contudo, começa a perceber que partes da sua vida parecem nunca ter existido”, lê-se na sinopse.

A série mergulha no lado mais negro da mente humana, enquanto acompanhamos uma mulher que tenta desvendar a história mantida em segredo das viagens espaciais e que, ao mesmo tempo, pretende recuperar tudo aquilo que perdeu. “Ela tem de perceber o que se passa na vida que deixou para trás”, reforça a protagonista à mesma plataforma. Enquanto o faz, lida com um trauma que a afetou quando estava fora do planeta.

Rapace considera que o papel parece ter sido criado especialmente para ela. “Foi quase assustador. Quando li o guião, pensei: ‘O quê? ‘A Jo fala como eu. Tem uma filha com quem fala sueco e inglês, adora o seu trabalho e está muito determinada em alcançar os seus objetivos”, sublinha. Quando reconheceu estas características na personagem soube que tinha de aceitar o trabalho.

Ao seu lado tem o ator Jonathan Banks, de 77 anos. Graças à sua participação, a produção é uma espécie de uma reunião de “Breaking Bad” — a realizadora (Michelle MacLaren, de 59) também trabalhou no sucesso protagonizado por Bryan Cranston.

“Conheço-a desde que era miúda. Era a assistente de produção que segurava cartazes como ‘Por favor, não caminhem nesta direção'”, recorda Banks, que interpreta Henry Caldera em “Constellation”.

Tal como Noomi, também ele ficou imediatamente entusiasmado quando recebeu o primeiro guião. Descreve a história como sendo “intrigante, complexa e inesperada”. E acrescenta: “É muito cinemática, quase como se fosse um filme”.

Acima de tudo, Banks “adora obras que fazem com que o público se mantenha alerta constantemente e onde as respostas não são dadas imediatamente, nem de forma óbvia.” A experiência, descreve, foi “muito positiva”.

O mesmo, contudo, não se pode dizer da sua coprotagonista. Além de ter tido um treino intenso e pesadelos com a preparação, teve de gravar muitas cenas na neve — as filmagens decorreram, em parte, na Finlândia. “Estava muito frio. Foi doloroso. Prefiro o calor e estar a suar”, brinca. 

Carregue na galeria para conhecer as séries (e regressos) que chegaram em fevereiro às plataformas de streaming e à televisão. 

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT