Televisão

As perguntas que ficaram por responder após a nova temporada de “Stranger Things”

Obtivemos algumas respostas, mas não tantas como gostaríamos. Este novo capítulo deixou ainda mais questões em aberto.
A segunda parte estreia a 1 de julho.

O fim de “Stranger Things” está cada vez mais perto. A primeira parte da quarta (e penúltima) temporada estreou na Netflix a 27 de maio. Se pensávamos que íamos obter respostas a muitas das perguntas que tínhamos, fomos bem enganados. Em vez disso, a série deixa-nos com mais questões do que as estávamos à espera.

Dão-nos umas quantas respostas, mas não todas. Descobrimos o que aconteceu a Hopper (David Harbour), que é agora um prisioneiro numa prisão russa, em Kamchatka, e descobrimos que algumas relações se mantiveram apesar da distância, como a de Eleven (Millie Bobby Brown) e Mike (Finn Wolfhard). O mesmo não se pode dizer do relacionamento entre Nancy (Natalia Dyer) e Johnathan (Charlie Heaton).

Já seria de esperar que fossem deixadas algumas pontas soltas para serem atadas na nova temporada (ou, neste caso, na segunda parte), nós esses que servem para dar continuidade à narrativa.

Será que Nancy vai morrer?

A maior questão do momento paira sobre Nancy Wheeler, que no sétimo episódio é capturada por Vecna, o vilão do quarto capítulo.

O antagonista persegue os adolescentes mais traumatizados. Começou por matar a cheerleader Chrissy (Grace Van Dien) e o jornalista e estudante Fred Benson (Logan Riley Burner). As vítimas seguintes foram o atleta Patrick (Myles Truitt), Max (Sadie Sink) — que acabou por ser salvs pela música “Running Up That Hill (A Deal With God)” de Kate Bush — e, por último, Nancy.

No fim da temporada vimo-la presa na piscina onde a sua melhor amiga Barb (Shannon Purser) foi assassinada pelo Demogorgon, ainda no primeiro capítulo, lançado em 2016. Esta dor continua a perseguir a personagem, que se culpa pela sua morte. A questão fica no ar: será que Nancy vai conseguir sair do transe e sobreviver a Vecna?

Porque é que o tempo no Upside Down está parado em 6 de novembro de 1983?

Para os fãs de “Stranger Things” a data de 6 de novembro de 1983 tem uma grande importância. Nesse dia Will Byers (Noah Schnapp) foi levado para o Upside Down e Eleven entrou em contacto com Demogorgon, criando um portal entre ambos os mundos.

Quando Steve (Joe Keery), Nancy, Robin (Maya Hawke) e Eddie (Joe Quinn) atravessam para o mundo invertido na quarta temporada, são atacados por criaturas semelhantes a morcegos. Para se protegerem dos perigos quase infinitos daquela realidade, pedalam até à casa dos Wheelers à procura de armas.

Ao verem o diário de Nancy, reparam que o tempo está parado no dia do desaparecimento de Will — sem que seja dada qualquer explicação porquê. Este detalhe tão importante não pode ser apenas uma coincidência (ou um easter egg), e será, garantidamente, abordado na segunda parte da quarta temporada (ou mesmo no capítulo final da série).

Eleven já recuperou os poderes? Estará agora mais forte?

No final da terceira temporada vimos uma Eleven mais vulnerável e que, pela primeira vez na vida, não podia recorrer aos seus poderes. Esta incapacidade passou para o quarto capítulo da série, e foi um dos enredos mais importantes nos episódios mais recentes.

A personagem é levada para um complexo ultrassecreto (localizado na Área 51) onde esperam conseguir ajudá-la a recuperar as aptidões. Ainda as tem mas, tal como uma vítima de AVC pode perder certas capacidades motoras e recuperá-las com o tempo, também as capacidades sobre-humanas de Eleven podem regressar — e mais potentes do que nunca.

Para que o consigam fazer, o Dr. Brenner (Matthew Modine) e o Dr. Owens (Paul Reiser) submetem-na a um programa que a coloca frente a frente com o seu passado reprimido. No fim, usa momentaneamente as capacidades telecinéticas, porém, ficamos sem saber se regressaram definitivamente.

Como é que Hopper, Murray e Joyce vão sair da prisão russa?

Nesta mais recente temporada decorreram várias histórias em simultâneo. Na Rússia, assistimos ao encontro emocionante entre Joyce e Hopper, após a personagem interpretada por Winona Ryder atravessar a Cortina de Ferro com a ajuda de Murray (Brett Gelman).

Para chegarem até ao antigo polícia de Hawkins, tiveram de passsar por vários guardas. enquanto assistiam à luta entre Hopper e um Demogorgon que se alimentava dos prisioneiros.

Triunfaram face a esses perigos, mas a prisão de segurança máxima ainda está repleta de guardas armados e, provavelmente, outros perigos dos quais não estão à espera. Este não é, contudo, o único problema: o avião que usaram para lá chegarem acabou por se despenhar durante o caminho, e ainda existe uma boa distância entre os Estados Unidos da América e a Rússia.

O Will é gay?

Esta pergunta nunca foi respondida, mas desde a terceira temporada que a série tem dado algumas dicas de que Will pode ser, efetivamente, homossexual. O próprio elenco parece acreditar nisto. Durante uma entrevista, David Harbour explica que na quarta temporada Will está apaixonado por alguém do grupo, e não é Eleven (com quem foi viver para a Califórnia).

A resposta mais provável é que o jovem esteja apaixonado por Mike, o seu melhor amigo. Esta teoria ganhou mais força graças a este novo capítulo. No primeiro episódio vemos Will a pintar algo, mas não descobrimos o que é. Sabemos, porém, que tem um grande valor para ele — levou-o para o aeroporto quando foi buscar Mike, e colocou-o na mochila antes de fugir de casa, entre tiros e mortes.

Uma das falas da personagem também levou os fãs a acreditarem que o que sente por Mike vai para além da amizade. “Às vezes é difícil dizermos às pessoas como nos sentimos. E se as pessoas de que tu mais gostas não gostarem da verdade?”

A segunda parte da quarta temporada de “Stranger Things” chega à Netflix a 1 de julho. Enquanto espera, carregue na galeria para descobrir que outras séries estrearam em maio.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT