Televisão

As telenovelas vão invadir a Netflix — e uma delas já está no top das mais vistas

A bizarra história de "As Cinco Juanas" é a mais recente adaptação de uma novela latina a chegar à plataforma.
"As Cinco Juanas" estreou a 6 de outubro

Juana Valentina é uma jovem bonita e dedicada. Antes de morrer, a mãe Rosaura faz uma confissão à filha: o homem a quem chamava pai não era, na verdade, o seu pai biológico. Juana nasceu de uma relação fugaz numa noite de lua cheia. Do pai, Rosaura sabe apenas que vive em Corozal e que tem uma marca semelhante à da filha nas costas. A revelação leva a jovem colombiana a partir à busca do progenitor para, depois de várias peripécias, descobrir que Calixto, o verdadeiro pai, deixou filhos um pouco por todo o lado.

Além de conhecer (e se apaixonar) por Rúben que, vem a descobrir, é o seu meio-irmão, todos saberão mais tarde que há ainda mais quatro filhas espalhadas pelo país e que partilham com eles o sangue de família. Outro dado bizarro: todas se chamam Juana e todas têm a tal mancha familiar nas costas.

O enredo só poderia ser algo criado para uma telenovela. A verdade é que a produção colombiana de 1997 se tornou num sucesso nacional e internacional — um dos maiores hits colombianos a seguir a “Café” e “Yo Soy Betty, La Fea”, sendo que esta última chegou mesmo a ser adaptada numa produção norte-americana.

Não só foi transmitida em diversos países, como acabou por ser repetida até à exaustão na Colômbia. Mais de vinte anos depois, a história recebeu o toque de Midas da Netflix, foi readaptada aos tempos modernos e estreou a 6 de outubro, altura em que saltou diretamente para o top dos mais vistos em vários países, incluindo Portugal.

“As Cinco Juanas” conta a história de “cinco mulheres com a mesma marca de nascença, que se juntam para desvendar a verdade sobre o seu passado e descobrir a trágica teia de mentiras tecidas por um poderoso político”, pode ler-se na sinopse da Netflix. Desta vez, a produção não é colombiana mas sim mexicana — com título original “La Venganza de las Juanas” — e a trama sofre algumas adaptações.

Entre cenas de sexo e um ambiente mais sedutor, a puxar mais para o thriller do que para a tradicional novela, as cinco Juanas acabam por se encontrar no mesmo hotel, onde se cruzam por acaso, depois de um sismo as obrigar a reunirem-se à entrada do edifício.

À frente da produção está Jimena Romero, precisamente a filha do criador da história original, Bernardo Romero Pereira. A nova criação parte também de uma adaptação feita em 2004 para ser transmitida no México, sendo que foi novamente recriada para a série “Hijas de la Luna”, que terminou em 2018.

A aposta da Netflix nas telenovelas tem sido cada vez maior. Em 2018, a plataforma lançou “A Casa das Flores”, uma série de comédia negra que acompanha uma família disfuncional da classe alta mexicana. O enredo levou a que muitos a apelidassem de telenovela, algo do qual a própria plataforma se quis distancias, mas que depois abraçou.

Manolo Caro, o criador, explicou mesmo que não o incomodava minimamente que comparassem a produção às tão tradicionais e famosas telenovelas mexicanas. “Muitos tinham pudor em definir ‘A Casa das Flores’ como um melodrama ou uma telenovela. Pensavam que me iam irritar. Pelo contrário, acho que [a descrição] é coerente e genuína”, explicou ao “El País” sobre a série que acabou por conquistar a alcunha de “telenovela millenial”. 

A produção que apostou em temas como os direitos LGBT foi um sucesso, tem três temporadas e deu origem a dois filmes, todos disponíveis na plataforma. Aquilo a que chamam a nova era das telenovelas começou em 2013 e tem conquistado cada vez mais fãs, à medida que as produções se modernizam e chegam a outras audiências.

“A telenovela sempre foi um género globalmente popular, além de ser um elemento integral do panorama televisivo na América Latina. Mas as telenovelas são também vistas em muitos outros países. A Netflix, como produtor e distribuidor global, entende a importância deste género”, explica Ramon Lobato, o autor do livro “Netflix Nations”, em declarações à “SFGate”.

A chegada da plataforma aos países onde as telenovelas reinam levou a que cada vez mais investimento chegasse aos estúdios locais. Sem grande competição local, mesmo entre os parceiros gigantes como a Amazon e a HBO, a Netflix domina a seu prazer.

No catálogo encontram-se agora outras produções como “Club de Cuervos”, uma comédia dramática centrada num clube de futebol, ou “Ingovernável”, um drama político focado na primeira-dama mexicana que não olha a meios para atingir os fins.

“É importante que a nova geração saiba como é que a ideia da telenovela mudou”, explica Caro, assumidamente homossexual, que optou por juntar à trama temas feministas e causas LGBTQ. “Quero dar visibilidade a estas coisas. Cresci numa sociedade onde nunca me senti representado. Quero mudar isso.”

A luta pelo domínio na América Latina levou a que a Netflix usasse as mesmas armas dos estúdios e produtores locais — e partir daí para os tornar em produtos, séries e filmes ainda mais apetecíveis. Estima-se que a plataforma tenha em andamento mais de cinco dezenas de produções a serem criadas e gravadas na região.

Uma delas é “Rebelde”, uma telenovela desenhada para adolescentes e que deverá estrear em 2022. É, naturalmente, um remake do êxito argentino criado em 2004 e que até teve direito a uma adaptação portuguesa. Este no ar durante apenas um ano, com um elenco que incluiu nomes como Joana Alvarenga, Alda Gomes, Tiago Aldeia, Sofia Aparício, José Raposo ou Sofia Rizzo, entre muitos outros.

Foi no início de 2021 que a Netflix anunciou um investimento de mais de 250 milhões de euros só em produções no seu quartel-general no México. Mas a avalanche da plataforma pode não se ficar por aí.

É no Brasil que a Netflix encontra um dos grandes rivais, a Globo, que em 2015 lançou a Globoplay para tentar combater a entrada do gigante norte-americano no mercado. Contudo, as últimas notícias revelam que poderá estar para chegar uma espécie de trégua — e uma parceria milionária.

Do Brasil chegam notícias de que Netflix e Globo estarão a preparar uma colaboração naquela que seria a primeira novela brasileira com assinatura da plataforma americana, com valores que poderão ascender aos 40 milhões de euros. Para amenizar a aposta no Brasil, a produção seria transmitida localmente pela globo e internacionalmente pela Netflix. As conversações estarão já num estado avançado e poderá mesmo chegar aos ecrãs em 2022.

Seja ou não um fã de telenovelas, de certeza que na lista de novas séries que estrearam em outubro há uma escolha perfeita para ver nos próximos dias. Carregue na galeria para saber quais são.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT