Televisão

Bridgit Mendler: do Disney Channel para o Espaço, passando pela maternidade

A protagonista de "Boa Sorte, Charlie" estudou em algumas das universidades mais prestigiadas dos Estados Unidos da América.
Tem um percurso académico invejável.

Desde que apareceram em algumas das maiores produções do Disney Channel no início dos anos 2000, várias estrelas têm tido percursos muito diferentes. Miley Cyrus, por exemplo, teve a sua era rebelde. Já Orlando Brown teve de lutar contra o seu vício nas drogas. Selena Gomez, por sua vez, tornou-se numa empreendedora, graças à sua linha de cosméticos Rare Beauty. Depois, temos Bridgit Mendler, que seguiu por um caminho ainda mais distinto. Agora longe das câmaras, prepara-se para lançar uma empresa espacial.

A mulher de 31 anos foi a protagonista de “Boa Sorte, Charlie“, que foi transmitida no canal entre 2010 e 2014. Também apareceu em filmes do estúdio como “Lemonade Mouth”. Depois, tal como muitos outros colegas, aventurou-se pela música, lançando temas como “Ready or Not” e “Hurricane”, que continuam a ser ouvidos por milhões de pessoas.

Volvidos cerca de dois anos sobre o fim da série, lançou o álbum “Nemesis”, teve pequenos papéis em produções de outros canais e, em 2019, afastou-se das luzes da ribalta — por uma boa razão: matriculou-se na faculdade.

Formou-se em Antropologia na Universidade do Sul da Califórnia e em 2020 concluiu um curso no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, uma das instituições de ensino mais prestigiadas dos EUA, para melhorar o seu nível de conhecimentos de redes sociais. “Como atriz, sempre tive dificuldade neste campo porque havia uma forma mais humana de me conectar com os meus fãs. É isso que vou estudar”, partilhou no X. Posteriormente, tirou uma licenciatura em Direito em Harvard e um doutoramento em Filosofia também no MIT. Um currículo invejável, em suma.

Uma vida feliz na Disney

Estudar nas mais prestigiadas universidades dos EUA não é barato e Bridgit só o pôde fazer graças ao dinheiro que foi arrecadando ao longo da sua carreira — que começou quando tinha apenas oito anos e se mudou com os pais e irmão mais novo para San Francisco. Lá, os progenitores contrataram um agente que rapidamente lhe arranjou um papel secundário no filme de animação “The Legend of Buddha”.

Assinou com o Disney Channel em 2009, onde interpretou Juliet van Heusen em “Os Feiticeiros de Waverly Place”, Olivia White em “Lemonade Mouth” e “Teddy Duncan” em “Boa Sorte, Charlie”, o seu papel mais notável. Em 2014 saiu da gigante do entretenimento e aventurou-se por outras estações e plataformas de streaming, como a NBC, ABC e Netflix.

Tudo foi feito, porém, com felicidade e apenas boas experiências. “Sempre adorei fazer de Teddy. É algo no qual me sinto muito confortável e sempre protegida pelos próprios guiões, que deixam que me divirta, mas que, ao mesmo tempo, não me fazem parecer ridícula”, contou ao “The Wall Street Journal” em 2013.

A atriz nunca deu muitas entrevistas onde falava especificamente sobre a sua parceria com o estúdio. O que já contou é que “não tem sentimentos negativos para com a relação formada entre ambos os lados”. “Vejo-me a trabalhar com eles durante muito tempo, mas também estaria contente em trabalhar noutros projetos. Acolheram-me ao longo dos anos e sempre foram fantásticos”, disse à mesma publicação naquela altura.

Da televisão para o espaço e maternidade

Um percurso académico tão distinto quanto o de Mendler é, muitas vezes, sinónimo de uma carreira profissional frutífera. Parece que a estrela está a seguir a regra. Nesta segunda-feira, 19 de fevereiro, anunciou na sua conta do X (antigo Twitter) que é uma das responsáveis pela Northwood Space, uma empresa de satélites sediada no estado da Califórnia. A ajudá-la tem o marido Griffin Cleverly, diretor de tecnologia (com quem casou em 2019) e Sharuya Luthra, o chefe de software.

Segundo o que explicou, o grupo pretende “construir uma estrada de dados entre a Terra e o Espaço”. Essencialmente, pretende conectar diferentes estações a satélites para obter e transmitir informações. “Temos muito trabalho pela frente, mas essa é a parte divertida”, acrescenta. O investimento é de 5,83 milhões de euros, que vão ser financiados por outras companhias.

Não é exatamente novata neste ramo. Segundo a sua página do LinkedIn, quando esteve em Harvard foi a copresidente da Sociedade de Lei Espacial naquela universidade. Também contou à CNBC que passou muito tempo na Comissão Federal de Comunicações, onde ficou “apaixonada pelas leis do espaço”.

Esta surpresa não veio por si só. Através das suas redes sociais, a ex-estrela da Disney também revelou que agora é mãe de um rapaz de quatro anos. “Acolhi-o em 2021 e adotei-o oficialmente no Natal de 2022. Sou uma mulher muito sortuda. Ser mãe é o melhor presente e uma experiência inigualável”, comenta.

Este é o seu primeiro filho, que está a ser criado ao lado de Griffin Cleverly. O casal conheceu-se em 2017 por meio de um amigo em comum. Após dois anos de namoro, em abril de 2019, a atriz anunciou que estava noiva. Casaram em outubro, numa praia em Miami, rodeados de amigos e familiares.

“Foi mágico”, contou Mendler à revista “Extra”. “O pôr do sol estava lindo e até havia um tipo ao pé de nós a construir castelos incríveis na areia, o que foi divertido de se ver”, brinca. No Instagram, não poupou nos elogios a Griffin, de 33 anos.

“Casei com o melhor homem que alguma vez conheci. Mal posso esperar para passar a vida ao lado dele enquanto aprendemos, exploramos e nos apaixonamos ainda mais. Um brinde à minha nova família”, escreveu.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT