Televisão

“The Comey Rule”: Donald Trump chega à televisão na nova minissérie do momento

Tem apenas quatro episódios e foca-se na ação do ex-diretor do FBI, James Comey, e na sua relação com o presidente americano.
Só há 2 episódios.

Chama-se “The Comey Rule” e é uma nova minissérie que tem sido bastante falada nos Estados Unidos da América. Afinal, retrata um período bem recente da história política americana, cujas consequências estão a acontecer nos dias de hoje.

Tem apenas quatro episódios e estreia na plataforma de streaming da HBO Portugal esta segunda-feira, 28 de setembro. Vai poder ver os primeiros dois capítulos no dia da estreia, e a segunda metade chega logo na terça-feira, dia 29. É uma produção original da Showtime, cuja estreia esteve marcada para depois das eleições presidenciais de novembro, mas o realizador e criador do guião, Billy Ray, insistiu para que estreasse antes.

Ainda assim, a crítica internacional tem apontado para o facto de que esta minissérie não deverá mudar a perspetiva de ninguém, numa sociedade descrita cada vez mais como polarizada — e há dúvidas sobre se os apoiantes devotos de Trump quererão sequer assistir a este projeto.

No entanto, a narrativa centra-se sobretudo em James Comey, o ex-diretor do FBI, nomeado para o cargo por Barack Obama mas que se manteve no lugar durante os primeiros tempos da presidência de Donald Trump, cuja tomada de posse aconteceu no início de 2017.

O argumento baseia-se em “A Higher Loyalty”, o livro escrito por James Comey que conta as suas experiências enquanto diretor do FBI. Por isso, é sobretudo a sua perspetiva que é veiculada em “The Comey Rule”, apesar de existir uma posição de contraditório em várias ocasiões.

James Comey é descrito como a personificação da integridade e do cumprimento do dever e das regras — mesmo que isso possa ter consequências catastróficas. É mostrado como o diretor sério que não passa à frente da fila no refeitório, mas também aquele que, alegadamente por motivos de ética profissional, liberta uma informação que pode alterar completamente as eleições do seu país.

A história foca-se, entre outros processos, na investigação do FBI à campanha de Hillary Clinton, que usou um servidor privado de emails que esteve sob suspeita; e também no inquérito conduzido acerca da influência russa na eleição presidencial que opôs a candidata democrata a Trump. “The Comey Rule” levanta questões e pode até refletir sobre elas, sem, no entanto, dar grandes respostas.

Estas investigações foram cruciais para a carreira de James Comey. Numa quebra insólita de protocolo, o diretor do FBI deu uma conferência de imprensa a explicar as razões que o FBI tinha para não apresentar queixas formais contra a campanha de Hillary Clinton; e um mês antes das eleições insistiu em alertar o Congresso para o facto de que o processo estava a ser reaberto por causa da descoberta de novas provas, mesmo que isso implicasse uma provável subida de intenções de voto em Trump da parte da população mais indecisa.

A pergunta que muita gente faz — e à qual a série não responde de forma clara — é se James Comey era um patriota que se viu mergulhado em situações extremamente exigentes ou se era um egomaníaco (como tantas vezes foi acusado) que acreditava que conseguia resolver tudo sozinho e com os próprios meios e que acabou por contribuir bastante para eleger Trump.

Jeff Daniels interpreta James Comey, enquanto o papel de Donald Trump (que só aparece no segundo episódio) é de Brendan Gleeson. Ambos estão a ser altamente elogiados pelas respetivas interpretações — sobretudo Gleeson, que domina as cenas em que aparece.

O elenco inclui ainda nomes como Scoot McNairy, Jonathan Banks, Michael Kelly, Holly Hunter, Jennifer Ehle, Oona Chaplin, Amy Seimetz, Steven Pasquale, Steve Zissis, Shawn Doyle, Brian d’Arcy James, Kingsley Ben-Adir ou William Sadler, entre outros.

Por um lado mostra-se a perspetiva dos agentes do FBI, dos patriotas trabalhadores que são invisíveis quando têm sucesso mas ficam conhecidos quando caem em desgraça; por outro existe uma clara sátira na interpretação de uma série de figuras políticas da administração de Trump.

Carregue na galeria para conhecer outras das principais novidades da televisão (e do streaming) para este mês de setembro.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT