Televisão

De Cristina Ferreira a Bruno Nogueira: todas as grandes mudanças na televisão portuguesa

Nos últimos dias e semanas têm havido várias trocas entre as estações. A tendência deverá ser para continuar.
Têm sido várias as mudanças na televisão.

Quando Cristina Ferreira trocou a TVI pela SIC, há quase dois anos, o panorama televisivo em Portugal mudou. Com a apresentadora na estação de Paço de Arcos e uma série de outros programas de sucesso que saíram da direção de Daniel Oliveira, a SIC conseguiu bater pela primeira vez a TVI em muitos anos, tornando-se no canal mais visto em Portugal.

Na última sexta-feira, 17 de julho, e sem nada público que o fizesse prever, Cristina Ferreira anunciou que iria regressar à TVI, à “casa mãe” que a viu crescer. A notícia chegou como um choque, claro. A SIC descreveu a decisão como “unilateral” e “abrupta”, que se traduzia numa “desilusão”.

Em setembro, Cristina Ferreira irá regressar à TVI como diretora de entretenimento e ficção (x), além de ir ser acionista da Media Capital. Provavelmente irá conduzir algum programa ou vai dirigir emissões especiais, mas nada ainda foi revelado sobre isso.

Só que Cristina Ferreira é só uma das várias mudanças que têm acontecido entre a TVI, a SIC e a RTP nos últimos dias e semanas — uma tendência que poderá muito bem continuar durante o verão.

João Paulo Rodrigues, que esteve vários anos na SIC, saiu para ir para a RTP. O mesmo acontece com a atriz Vera Kolodzig, que participou em várias novelas da TVI. Juntos vão apresentar a segunda temporada de “100% Português”, que estreou com António Raminhos.

A grande aquisição da SIC nos últimos tempos foi Bruno Nogueira. O humorista poderá desenvolver vários projetos para a estação de televisão.

“As múltiplas facetas do talento de Bruno Nogueira, e a sua enorme capacidade de se reinventar, abrem perspetivas para o desenvolvimento de conteúdos de entretenimento e ficção nas diferentes marcas SIC, com especial destaque para o canal generalista e ainda nos canais temáticos, bem como para as plataformas digitais, que são uma forte aposta do grupo”, referiu a SIC quando o acordo foi anunciado, a 10 de julho.

Só a partir de setembro é que vamos conhecer quais são os novos programas de Bruno Nogueira. O humorista estreou-se na SIC em “Levanta-te e Ri” e, em 2015, foi o autor de “Som de Cristal”.

“A liberdade criativa que o Daniel Oliveira e a SIC me oferecem é, mais do que nunca, uma oportunidade irrecusável. Agradeço o convite e a confiança demonstrada neste meu regresso à SIC, e espero estar à altura daquilo a que me proponho. Por outro lado, para o Daniel Oliveira, será o fim de uma época dourada. Nos livros de história da televisão, o Daniel será sempre recordado como ‘aquele a quem tudo corria bem, até ter contratado o outro’”, disse Bruno Nogueira.

De saída da TVI está Leonor Poeiras. A apresentadora disse ter sido “despedida” da estação, embora o canal tenha frisado que não havia nenhum contrato entre ambos, daí a impossibilidade de um despedimento. 

Leonor Poeiras disse que “não aceitou substituir Fátima Lopes durante as férias de verão por causa de uma série de conversas e desenvolvimentos, mesmo dentro do seio da TVI”. Já a TVI respondeu: “A Leonor Poeiras não se mostrou disponível para os últimos projetos que a TVI lhe apresentou, mas ela não tem nenhum vínculo com o canal.”

Apesar disso, a apresentadora trabalhava há 17 anos com a TVI de forma contínua, nunca tendo trabalhado com outro canal. Leonor Poeiras reagiu ainda às declarações públicas da parte da TVI.

“Por elegância omiti isso da entrevista, não é bonito o que aconteceu, nem o que me vejo obrigada a esclarecer. No regresso pós pandemia do ‘Somos Portugal’ fui contactada para apresentar essa primeira emissão, sim. Ora por questões de saúde este é um programa que infelizmente tive de deixar de fazer em dezembro do ano passado, como já é do conhecimento público. Por isso, nesse mesmo telefonema, perplexa, voltei a explicar por que não podia fazer. Nunca poderia aceitar, a TVI sabia disso“, contou.

No campo da informação, também têm sido várias as mudanças nas televisões. Sérgio Figueiredo abandonou a direção de informação da TVI. Pedro Mourinho, que está na SIC há muitos anos, foi contratado pela TVI e deverá ocupar o cargo de subdiretor.

Este sábado, 18 de julho, tornou-se também público que Anselmo Crespo, da TSF, é o novo diretor de informação da TVI, avançou o “Jornal Económico.” Já João Fernando Ramos da RTP passa a dirigir a TVI Porto, garante o jornal “Público“.

Na TVI, Nuno Santos — que até aqui era diretor de programas — foi promovido recentemente a diretor-geral, acumulando também responsabilidades na informação. A ERC anunciou ainda que está a investigar as mudanças na estação.

A reguladora pretende averiguar se ainda é a Prisa — acionista maior que tinha intenções de vender a Media Capital — que ainda controla a TVI. Essa investigação foi comunicada um dia depois de ter sido nomeado um novo presidente executivo, Manuel Alves Monteiro, que estava na administração há poucos meses e que é administrador de outra empresa de Mário Ferreira, o novo acionista minoritário da Media Capital.

“Em análise está a eventual alteração não autorizada de domínio, que envolve responsabilidade contraordenacional e pode dar origem à suspensão de licença ou responsabilidade criminal”, disse a ERC esta sexta-feira, 17 de julho.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT