Televisão

De “The Crown” a “House of the Dragon”: Matt Smith, o ator que não queria ser ator

Na prequela de “A Guerra dos Tronos”, interpreta o implacável Daemon Targaryen, o violento irmão do rei.
Matt Smith é um dos atores mais conhecidos da série.

Tal como acontecera na série original, a prequela de “A Guerra dos Tronos” tem um elenco formado por muitos atores que, mesmo que sejam reconhecidos, não são grandes estrelas de Hollywood. Daí que a produção da HBO tenha catapultado a carreira de vários atores anónimos.

Na nova “House of the Dragon”, que estreou esta segunda-feira, 22 de agosto, na mesma plataforma de streaming, a lógica é idêntica. Um dos atores mais célebres será Matt Smith, o britânico de 39 anos que ficou conhecido por interpretar uma das versões do príncipe Filipe em “The Crown”, mas também por outros papéis.

Smith interpretou o protagonista numa das encarnações de “Doctor Who”, a partir de 2010. E participou ainda em projetos como “Party Animals” (2007), “Womb” (2010), “Exterminador: Genisys” (2015), “A Noite Passada em Soho” (2021) ou “Morbius” (2022). Em “House of the Dragon”, que já está a ser uma série com enorme projeção — foi a maior estreia de sempre da HBO nos EUA —, interpreta Daemon Targaryen. É uma personagem implacável e violenta movida pela ambição da conquista do poder. É o irmão mais novo do rei Viserys Targaryen.

No episódio de estreia da prequela, vemo-lo como comandante da guarda de King’s Landing a orquestrar uma rusga brutal contra os meliantes da cidade. A atitude é só mais um dos comportamentos erráticos que o tornam numa persona non grata para vários membros da corte. Contudo, o irmão Viserys tem o instinto de o proteger e confiar nele. Tudo muda, porém, quando percebe que Daemon celebrou a morte do seu bebé rapaz — tendo em conta que assim terá mais hipóteses de ser um pretendente à sucessão.

O primeiro capítulo de “House of the Dragon” termina com Daemon Targaryen excomungado, a abandonar King’s Landing no seu dragão, enquanto a sobrinha Rhaenyra é nomeada oficialmente como a futura herdeira do Trono de Ferro. No ar fica, claro, a ideia de que, mais tarde ou mais cedo, Daemon Targaryen há-de regressar com o objetivo de tomar o poder.

Ao contrário da sua personagem, Matt Smith nunca teve a certeza se queria ocupar o seu lugar enquanto ator. Tinha, aliás, um plano completamente diferente. O seu sonho era ser jogador de futebol. Natural de Northampton, sempre teve uma grande ligação à modalidade — aliás, o avô tinha sido futebolista no Notts County. 

Matt Smith jogou pelas camadas jovens dos clubes Northampton Town, Nottingham Forest e Leicester City — nesta última equipa chegou a envergar a braçadeira de capitão. Contudo, uma séria lesão na coluna impediu-o de continuar a jogar, para grande frustração do próprio.

Quem mudou a sua vida foi o primo Leigh Killick, que dava aulas de representação numa escola. Sem lhe perguntar, inscreveu-o para participar em diversas peças de teatro. Matt Smith não queria e chegou a não comparecer nalgumas das primeiras ocasiões. Receava que o envolvimento no no teatro afetasse a sua vida social. Via-se como um futebolista.

Leigh Killick lá o conseguiu convencer a interpretar um dos jurados numa encenação de “Doze Homens em Fúria”. Apesar de ter participado na peça, recusou-se a atuar num festival de representação para o qual o primo também o havia inscrito. Killick persistiu e persistiu. Acabou por convencer Matt a ingressar no National Youth Theatre, em Londres. Depois, estudou representação e escrita criativa na University of East Anglia. 

O resto, como se costuma dizer, é história. Smith começou a desempenhar papéis em inúmeras peças de teatro até se estrear nos telefilmes da BBC “The Ruby in the Smoke” e “The Shadow in the North”, em 2006 e 2007. 

O seu primeiro grande papel na televisão britânica foi em “Party Animals”, em 2007, que o tornou uma cara conhecida no seu país. Depois ingressou à séria na indústria e atingiu uma dimensão internacional. “House of the Dragon” promete ser mais uma produção marcante no seu percurso.

Leia a crítica da NiT ao primeiro episódio da prequela de “A Guerra dos Tronos” — e saiba o que os criadores da série têm a dizer sobre a cena brutal e chocante que marca o início da história. Carregue na galeria para descobrir outras séries novas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT