Televisão

Descubra como James Corden perdeu mais de 12 quilos e se transformou num novo homem

Em janeiro de 2021, o comediante deu a conhecer a intenção de levar mais a sério a saúde.
Contou com o apoio da WW, antiga Weight Watchers.

Nem só os comuns mortais sofrem — e muitas vezes falham — para cumprir as resoluções que traçam a cada troca de calendário. As figuras públicas, que com as suas vidas glamorosas e contas bancárias recheadas parecem estar acima de qualquer problema, também dão por si a deixar para uma próxima vez, constantemente, as mudanças que querem ver nas suas vidas. No início de 2021, o conhecido apresentador James Corden, habituado a arrancar gargalhadas a quem assiste aos seus sketches divertidos, revelou a meta que há anos tenta alcançar ingloriamente e garantiu que desta vez seria diferente. Doze meses depois, vemos que tinha razão.

Num vídeo em que anunciava o arrancar de uma parceria com a WW (inicialmente conhecida como Weight Watchers), Corden contou ter-se apercebido de que no dia 1 de janeiro de cada ano da última década dizia a si próprio e a qualquer um que ouvisse que era esse o momento em que ia começar uma dieta e perder muito peso.

O discurso era sempre o mesmo: “Estou farto da minha aparência, farto de não ser saudável, de dizer ‘este é o ano em que vou fazer isto'”, começou por explicar. “Por causa disso, durante o Natal, comia tudo o que havia no frigorífico. Na minha cabeça, em janeiro, ia começar esta dieta e ia ser um sucesso. E como podem ver, não foi”, brincou.

O círculo vicioso em que se viu envolvido começou a derrubá-lo de alguma forma, e o cansaço de fazer a mesma coisa a cada ano levou-o a recorrer à WW, uma vez que o regime deles é “mais sobre bem-estar, saúde e sentir-se melhor, em vez de apenas tentar perder muito peso”.

Em comunicado de imprensa, citado pela “People”, a estrela do “The Late Late Show with James Corden” partilhou querer mudar o modo como vivia. “Eu quero ser melhor para os meus filhos e para a minha família. Não quero acordar cansado ou sentir-me envergonhado quando estou a correr atrás do meu filho no campo de futebol e fico com falta de ar depois de três minutos. O problema não é o peso, mas o bem-estar. Vou trabalhar para ser mais saudável”.

Cerca de 365 dias após definir, de novo, o objetivo de sempre, vive a felicidade de obter um resultado satisfatório. “Perdi mais de 12 quilos desde o início do ano e, pela primeira vez, o peso que perdi não voltou. [A WW] fez toda a diferença. Sinto-me incrível”, disse em nota enviada à “People” no final de dezembro.

James elogiou o programa PersonalPoints da empresa, que cria um plano alimentar mais alinhado com os hábitos alimentares e de treino de cada membro, por lhe ensinar como comer e viver mais saudável. 

O sucesso alcançado permitiu ao apresentador entrar na quadra festiva, a sua época favorita, sem a ansiedade do costume. “Esta altura do ano tem sido, tradicionalmente, um problema para mim no que a ser saudável diz respeito, mas entro nas celebrações mais confidente do que nunca”, começou por dizer. “É libertador saber que posso continuar a desfrutar das comidas que amo sem nunca precisar privar-me”.

Ajudá-lo a reformular a forma como pensa sobre saúde e bem-estar foi a maior conquista da WW. Em entrevista à BBC Radio, Corden contou ter feito todas as dietas que existem no mundo, mas “a noção de fazer dieta é que está errada”. Concluiu: “Não vais fazer dieta, mas mudar o modo como comes. E mudá-lo para sempre”.

Uma luta antiga

Antes de ter anunciado a parceria com a WW, James Corden já tinha partilhado sobre a difícil relação que mantinha com a balança.

Em 2019, a propósito da obesidade nos Estados Unidos, o comediante Bill Maher disse “que o fat-shaming não precisa acabar, mas voltar. Alguma vergonha é boa. Envergonhamos as pessoas para pararem de fumar e para usarem cintos de segurança. Para não deitarem lixo ao chão e, a maioria delas, para não serem racistas. A vergonha é o primeiro passo para a reforma.”

Corden respondeu em direto no seu programa.“Há um equívoco comum e insultuoso de que as pessoas gordas são estúpidas e preguiçosas. Nós sabemos que estar acima do peso não é bom para nós e eu lutei a vida inteira para controlar o meu peso e sou péssimo. Tive dias bons e meses maus. Basicamente, faço dietas desde que me lembro e, bem, é assim que está a correr.”

O apresentador lembrou ainda que “a falta de vergonha não é o problema”, ou “não haveria crianças gordas nas escolas”, e ofereceu a solução: “Até tornarmos a comida saudável e os cuidados de saúde mais acessíveis, e educarmos as pessoas sobre nutrição e exercício, talvez devêssemos evitar a estratégia‘chamar virgem às pessoas com peso a mais até que o percam”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT