Televisão

É difícil descrever a nova série “BH90210”, mas foi feita para os fãs originais

A produção da Fox estreia esta quarta-feira, 7 de agosto, nos EUA. São seis episódios.
Ainda não há data para chegar a Portugal.

O tão aguardado momento do regresso de “Beverly Hills, 90210” chegou. Esta quarta-feira, 7 de agosto, estreia na Fox americana “BH90210”, a nova série deste universo que começou no início dos anos 90.

Ainda não há data para chegar a Portugal — e não é fácil descrever ou explicar em que consiste este projeto. Não é um remake e também não encaixa exatamente naquilo a que costumamos chamar um spinoff. Brandon, Brenda, Kelly, Steve, Andrea, Donna e David estão de volta — não apenas como personagens, mas sobretudo como os atores que as interpretam.

Ou seja, nesta história, Jennie Garth, Ian Ziering, Brian Austin Green, Tori Spelling, Shannen Doherty, Gabrielle Carteris e Jason Priestley interpretam versões exageradas deles próprios enquanto se preparam para fazer um reboot de “Beverly Hills, 90210”.

Pode ser estranho ver estes atores reunidos passados tantos anos — e nota-se, claro, a ausência de Luke Perry (tinha o papel de Dylan), que morreu em março deste ano, antes de poder participar no projeto.

No fundo, trata-se de um meta reboot feito para os fãs. Não só para recriar situações, diálogos ou momentos icónicos e nostálgicos, mas também para refletir sobre o período meia idade — como é enfrentar o futuro e ao mesmo tempo lidar com o passado nesta fase da vida, sendo que os fãs também se poderão identificar com isto.

Os atores estão agora espalhados por Los Angeles. Priestley é um realizador de televisão com um guião para um filme independente que ninguém quer financiar; Jennie Garth, que está no seu terceiro divórcio, está a criar sozinha uma filha adolescente que não é propriamente fácil.

Ian Ziering construiu uma marca de fitness com a sua mulher; Gabrielle Carteris é presidente da Actors Guild of America; Green é um pai doméstico e a sua carreira está na sombra da mulher famosa, Shay (La La Anthony).

Já Tori Spelling é uma mãe casada com seis filhos cuja grande fonte de rendimento, um reality show chamado “Tori & Nate: Spelling the Beans”, acabou de ser cancelado. Shannen Doherty não faz parte da reunião oficial, mas ainda assim aparece nos dois primeiros capítulos da produção.

Todos eles se reúnem em Las Vegas para esta produção com objetivos diferentes — alguns querem recriar a sua imagem, outros precisam do dinheiro, e ainda há quem queira simplesmente escapar dos miúdos que tem em casa ou construir a sua marca pessoal. Todos brincam com as próprias características enquanto figuras públicas.

Ainda assim, à beira da falência, é Tori Spelling que toma a decisão de tentar reunir o grupo. “Não entendo — o teu pai produziu a série. Como é que não ficaste com dinheiro nenhum?”, pergunta Green. “Bem-vindo à minha vida”, responde Spelling.

Apesar de estarem a interpretar versões de si próprio, também incorporam elementos das personagens. Tori Spelling é a principal responsável pelos momentos cómicos; Carteris é sensível e tenta fazer as pazes entre todos; Ziering é impulsivo e obcecado com a imagem; Priestley mantém a calma (e o charme); Green está especialmente ácido e Garth é outra das mais cómicas.

Além disso, as suas personagens em “Beverly Hills, 90210” também vão aparecer e fazer com que os fãs recordem a série original. 

A produção ditou muitas modas no início dos anos 90, como os blusões de ganga ou as calças de cintura subida. “Beverly Hills, 90210” estreou em 1990, teve dez temporadas e mais de 290 episódios. A Portugal chegou dois anos depois com o nome “Febre em Beverly Hills”. 

Terminou em 2000 mas regressou oito anos mais tarde para uma nova versão com apenas três atores do elenco original. Teve cinco temporadas e mais de 110 episódios. A saga deu ainda origem ao spinoff “Melrose Place”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT