Televisão

Dragões, trolls e feiticeiros: esta nova série da HBO tem tudo (e mais alguma coisa)

"The Watch" é protagonizada um polícia subvalorizado com problemas com a bebida que tenta mudar um mundo corrupto.
Tem dado que falar entre os fãs da história original.

Já estreou na HBO uma nova série perfeita para todos os fãs de mundos fantásticos, onde aquelas personagens que conhecemos dos contos de fadas são tão reais quanto os humanos. “The Watch” conta com oito episódios de uma hora.

A história cómica, mas emocionalmente pesada, acompanha um grupo improvável de desajustados, The City Watch, que são forçados a encontrar a coragem necessária para conseguirem salvar o mundo.

O projeto coloca as muitas personagens de fantasia, como trolls, lobisomens, feiticeiros e outros heróis improváveis, ​​a lutar contra um plano maligno para ressuscitar um grande dragão que levaria à destruição da vida como a conhecem. Além disto, a narrativa desenrola-se na cidade de Ankh-Morpork, onde os crimes organizados são praticamente legais.

O elenco tem caras conhecidas de outros projetos da HBO. Richard Dormer, conhecido pelo seu papel de Beric Dondarrion em “A Guerra dos Tronos”, encarna o protagonista — o Capitão Sam Vimes. É um polícia que passa os dias a beber com os companheiros, ao mesmo tempo que a cidade cai na ruína devido aos ataques dos antagonistas deste mundo. A certa altura decide que é tempo de mudar de paradigma, e tenta tornar Ankh-Morpork numa urbe respeitável e seguro.

A Dormer junta-se Lara Rossi como Lady Sybil Ramkin, Adam Hugill enquanto Constable Carrot, Jo Eaton-Kent no papel de Constable Cheery, Marama Corlett interpreta Corporal Angua e Samuel Adewunmi dá vida a Carcer Dun.

Segundo a HBO, “The Watch” inspira-se nas personagens criadas por Sir Terry Pratchett, autor dos famosos romances “Discworld”. Apesar do sucesso, Richard Dormer nunca tinha ouvido falar na personagem que retrata agora. “Fui para uma escola de teatro. Tinha mais ou menos 17 anos e dei o livro a um colega meu e nunca cheguei a descobrir o Sam Vimes”, contou ao “Rotten Tomatoes”.

Todos aqueles que já leram a coleção de Pratchett ficaram apaixonados pelo polícia determinado. Enquanto o conhecia melhor, também Dormer começou a sentir grande admiração pela personagem. “Ele está bastante despedaçado no início. Algo aconteceu há 20 anos que lhe destruiu a sua alma, o seu espírito e a sua confiança nos seres humanos — e em si mesmo.” Embora muitas pessoas se revejam neste estado de espírito, foi mesmo o bom coração do herói que agarrou os leitores. “Ele não vê cores nem religiões. Se és um lobisomem, desde que tenhas um bom coração, és aceite. Se és um troll, quem é que se importa? Tens é de ser boa pessoa”, explica. “Ele não se apercebe, mas acaba por juntar todas estas diferentes figuras que farão do mundo um sítio melhor.”

Os cenários desta nova série da HBO são fortemente influenciados pela época medieval, com uma banda sonora que nos relembra do New Wave. O protagonista descreve-a como sendo “punk rock, louca e irreverente.”

Apesar de se inspirar nas personagens dos livros de Terry Pratchett, “The Watch” não é uma cópia fiel, nem o tenta ser. “A versão que criámos — e já vi grande parte dela —  deixou-me bastante orgulhoso, e não conseguia imaginar uma versão diferente. As pessoas só têm de a aceitar. É como conhecer alguém novo pela primeira vez. Pode ser diferente do que imaginaste, mas isso não quer dizer que vás odiar essa pessoa”, explica Richard Dormer.

Rhianna Pratchett, a filha do autor dos projetos, concorda com esta afirmação, mas leva-a mais além, exclamando que nem devia ser publicitada como uma adaptação. Para ela, a nova abordagem à cidade de Ankh-Morpork “não partilha qualquer ADN” com a história do pai.

As críticas também se fizeram ouvir entre outros escritores de ficção científica, como Aliette de Bodard, que considerou o trailer “muito desapontante.” “Sou uma grande fã de mudar as coisas e adaptá-las e nunca espero que qualquer adaptação seja fiel o suficiente para seguir todos os detalhes dos livros. Mas não podes retirar o coração da história, alterar todas as personagens e continuar a chamá-la de ‘The Watch'”, desabafou no Twitter.

A produção é realizada pelo britânico de origem portuguesa Craig Viveiros, Brian Kelly e Emma Sullivan. Foi escrita por Simon Allen, com a colaboração de Joy Wilkinson, Catherine Tregenna, Amrou Al-Kadhi e Ed Hime.

Carregue na galeria para descobrir todas as séries que estrearam em novembro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT