Televisão

Drogas, anorexia e fama. A vida atribulada de Lily-Rose Depp, a próxima estrela da HBO

Aos 23 anos, conta já com mais de dez filmes no currículo e prepara-se para ser a protagonista de "The Idol" de Sam Levinson.

Nome do pai: Johnny Depp. Nome da mãe: Vanessa Paradis. Seria de esperar que com pais tão famosos quanto estes, a vida de Lily-Rose fosse alvo de todas as atenções desde o nascimento. E assim foi.

Porém, as recentes atribulações da vida do pai tornaram arrastaram-na para um processo complicado. Lily-Rose e o seu irmão Jack acabaram por ser usados como arma de arremesso na luta judicial entre Depp e Amber Heard, com esta última a acusar o pai de os manipular contra si. Perante a balbúrdia do julgamento, a jovem atriz de 23 anos manteve-se em silêncio. Uma ausência que lhe valeu uma onda de críticas da enorme e fiel massa de fãs de Johnny Depp.

Lily-Rose tem mais com que se preocupar. Enquanto todos os olhos estavam postos na sala de audiências, a atriz preparava o seu futuro — que promete. Com cerca de uma dezena de filmes no currículo, prepara-se para aquele que poderá ser o seu grande êxito. A atriz será a protagonista da nova série da HBO, “The Idol”, onde irá contracenar com The Weeknd, o artista transformado em ator, argumentista e produtor. Há outro nome de peso na produção, o de Sam Levinson, criador de “Euphoria”.

Embora pouco se saiba sobre a série, o primeiro teaser promete sexo, drogas e algo que Depp bem conhece: os bastidores de Hollywood. Lily-Rose será a cantora pop que se envolve num complicado romance com o dono de uma discoteca em Los Angeles. Uma relação que envolve seitas secretas e muito mistério.

Menos misteriosas são as origens da atriz, nascida em Paris em 1999. Assistiu ao divórcio dos pais em 2012, com apenas 13 anos, e desde então que divide a sua vida entre França e os Estados Unidos, graças à custódia partilhada entre Johnny Depp e a atriz e modelo Vanessa Paradis.

Lily-Rose com o pai

Esta teia de famosos torna-se ainda mais complexa. Curiosidade: o rocker Marilyn Manson, alvo de acusações graves de abusos sexuais, era um amigo íntimo de Johnny Depp e foi convidado para ser o padrinho de Lily-Rose. A atriz nunca fez grandes revelações sobre a sua infância ou a relação com o pai, mas foi inevitavelmente tema de conversa à medida que a batalha judicial entre Depp e Heard ia revelando alguns dos momentos em família. Segundo o ator, Lily-Rose terá experimentado canábis ao seu lado, com apenas 13 anos.

“A minha filha tinha 13 anos e todos sabemos que nessa idade, quando começas a ir a festas, és abordado por pessoas que te querem dar bebidas”, revelou. Depp sublinha que nunca encorajou a filha a consumir marijuana, mas que teve uma conversa com ela. “Ouve, se estiveres numa festa e alguém te passar um charro, pega nele e passa-o à pessoa seguinte. Não experimentes drogas com pessoas que não conheces”, confirmou. “Por favor, vem ter comigo quando achares que estás pronta, porque não quero que a tua primeira experiência neste mundo seja com pessoas desconhecidas, a tomar coisas que não sabes o que são. É uma questão de segurança.”

Esse momento chegou e Depp recordou, no tribunal, ter consultado a mãe, antes de experimentarem a droga em conjunto. Heard mostrou-se preocupada. “Eu sabia que a marijuana que eu tinha e que eu próprio fumo é de confiança, é de boa qualidade, e estava determinado a que a minha filha não as experimentasse por aí, algures, porque pode ser demasiado perigoso”, referiu.

Desde cedo que Lily-Rose se debateu com problemas de saúde. Em 2007, com apenas sete anos, uma infeção provocada por E.Coli provocou uma falha no funcionamento dos rins e obrigou a que fosse hospitalizada. “Vivi com a minha filha durante três semanas no hospital, sem saber se ela sobreviveria”, contou em 2020, durante um discurso de angariação de fundos para uma associação de luta contra o cancro. Não foi situação única. Anos mais tarde, Lily-Rose debateu-se também com a anorexia.

“[Os comentários sobre o meu peso] magoam-me, deprimem-me, porque gastei muita energia a lutar contra a doença”, revelou a atriz numa entrevista à edição francesa da revista “Elle”. “Era muito jovem. Foi muito difícil de lidar com isso. Todos os que estão familiarizados com o problema sabem o quão difícil é regressar a uma vida normal. Combati-a durante muito tempo e estou orgulhosa do que consegui conquistar.”

Marilyn Manson foi escolhido para ser o seu padrinho

Sobre a infância na ribalta, Depp recorda que os seus pais “não eram muito rígidos”. “Sempre confiaram na minha independência e na minha capacidade para tomar decisões. Na verdade, não tinha muitos motivos para ser rebelde”, contou à “Vogue”. A atenção mediática nunca foi, para a atriz, problemática. “Obviamente que estou habituada à atenção porque cresci com ela, mas os meus pais protegiam-me, a mim e ao meu irmão, tanto quanto podiam”, revelou.
“Consigo detetar os paparazzi nos arbustos e só mais recentemente é que eles se começaram a interessar pelas coisas aborrecidas que faço, como ir tomar café”, contou.

Naturalmente, Lily-Rose começou a interessar-se pela profissão dos pais. Estreou-se com uma aparição em Tusk, ao lado do pai, experiência que repetiu em “Yoga Hosers”. Depois, seguiu o seu caminho a solo, sobretudo em produções francesas — até porque a atriz, nascida em França, é bílingue. Participou em “La Danseuse”, de 2016, e também em “The King”, de 2019, onde conheceu Timothée Chalamet nas gravações, com quem teve uma relação de cerca de dois anos.

“Quando és uma atriz, o teu trabalho passa por transformares-te em personagens diferentes, em poderes ser vista como uma pessoa completamente separada de ti própria. Esqueces tudo o resto e colocas-te nos sapatos da personagem”, explicou numa entrevista à “W Magazine”. “E quanto mais aprendo sobre a importância de conheceres as tuas personagens, menos me colocava a mim própria na equação.”

Apesar de admitir não gostar de redes sociais e usá-las apenas para questões profissionais, os últimos meses foram atribulados e não se livrou dos danos colaterais dos problemas judiciais do pai. Sempre defendido por uma fiel legião de fãs — que Amber Heard acusa de serem os responsáveis pela sua derrota, ao ajudarem a moldar a opinião pública —, o ator viu a sua fama virar-se contra Lily-Rose.

A filha, praticamente sempre em silêncio durante o julgamento, começou a ser atacada pelos fãs de Johnny Depp, que a acusaram de trair o pai, ao não manifestar publicamente o seu apoio. E apesar de se ter sempre recusado a comentar o caso, muitos recordaram a sua publicação em 2016, assim que as primeiras notícias sobre alegados abusos a Amber Heard chegaram às manchetes. “O meu pai é a mais doce, adorável pessoa que conheço. Sempre foi um maravilhoso pai, para mim e para o meu irmão, e todos os que o conhecem dizem o mesmo.”

Polémicas à parte, Lily-Rose continua a sua carreira de forma independente. “The Idol” deverá chegar à televisão ainda em 2022, mas nos planos estão ainda mais dois projetos. O filme “The Governess” e “Moose Jaws”, a comédia com a assinatura de Kevin Smith.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT