Televisão

Em “Chapelwaite” Adrien Brody volta à HBO no registo habitual de homem atormentado

Tem dez episódios e é uma história de Stephen King passada no século XIX. Os Boone são a família protagonista.
Adrien Brody é Charles Boone.

“Shining”, “Carrie”, “Os Condenados de Shawshank”, “It”, “Misery”, “À Espera de um Milagre”, “Christine, o Carro Assassino”, “A Torre Negra”, “Pet Sematary”, “The Stand” ou “Castle Rock”. O que têm em comum todos estes filmes e séries? Todos foram criados a partir de histórias de Stephen King.

O autor americano de 74 anos começou a escrever nos anos 70 e desde então já publicou dezenas de histórias de fantasia, inúmeros contos e vários livros de não ficção. É um dos escritores vivos que mais vende livros: no total já foram mais de 350 milhões de exemplares em todo o mundo. A sua influência na cultura pop é tão grande e profunda que é difícil de calcular com precisão. 

Esta terça-feira, 26 de outubro, estreia na HBO Portugal a mais recente adaptação de uma das suas narrativas. “Chapelwaite” é uma produção de dez episódios adaptada a partir do conto “Jerusalem’s Lot”. Estava incluído na coleção de pequenas histórias “Night Shift”, publicada em 1978. Por enquanto estão disponíveis cinco episódios — os restantes cinco chegam a 3 de novembro.

Adrien Brody é o protagonista desta narrativa passada no século XIX. Interpreta Charles Boone, um homem oriundo de uma família com um histórico de doenças mentais, que passou grande parte da vida em navios baleeiros. Charles tem uma mulher e três filhos.

Por volta do ano de 1850, a sua mulher morre — curiosamente, ao mesmo tempo que um dos seus primos. O resultado? Charles herda a propriedade de Chapelwaite, numa zona rural do estado do Maine (onde Stephen King cresceu). 

A residência é perto da cidade de Preacher’s Corners, onde vive uma comunidade puritana que teme — e também detesta — a família Boone. Este rancor nasceu com os antepassados de Charles mas acaba por afetá-lo diretamente no presente. A comunidade destila ódio pelos seus filhos mestiços e há tensão no ar, aparentemente relacionada com a comunidade mineira cada vez menor de Jerusalem’s Lot.

Além de tudo isto, uma doença começa a alastrar pela pequena cidade: uma condição misteriosa deixa as vítimas com anemia e com uma enorme sensibilidade à luz solar. 

Uma aspirante a escritora, chamada Rebecca, vai tentar aproximar-se da família Boone para desvendar a sua história de maldição. Arranja trabalho como governanta da propriedade e a partir daí começa a investigar. Aos poucos, os segredos que assolam os Boone vão sendo revelados.

“Chapelwaite” tem sido descrito pela crítica internacional como um slow burner — o ritmo é lento, mas o suspense vai crescendo até a fasquia aumentar consideravelmente chegar ao clímax. Os aspetos negativos mais apontados à produção têm a ver com o desenvolvimento incipiente de algumas personagens.

O elenco da série inclui ainda Emily Hampshire, Jennifer Ens, Sirena Gulamgaus, Ian Ho, Hugh Thompson, Gord Rand, Genevieve DeGraves ou Trina Corkum, entre outros.

Carregue na galeria para conhecer outras novas séries (e temporadas) para descobrir neste mês de outubro nas plataformas de streaming.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT