Televisão

Falámos com o músico português que esteve em Lisboa com Tokyo, de “La Casa de Papel”

Buba Espinho e Luís Trigacheiro atuaram no Príncipe Real para a atriz Úrsula Corberó. Falta um mês para a estreia.
Úrsula Corberó interpreta Tokyo na série.

Foi no final de agosto de 2020 que as gravações de “La Casa de Papel” aconteceram em Portugal. A série espanhola veio a Lisboa (e arredores) filmar algumas cenas para a última temporada. A estreia na Netflix está marcada para 3 de setembro.

A diferença é que, desta vez, a temporada vai estar dividida em duas partes: a primeira chega em setembro, a segunda é lançada três meses depois, a 3 de dezembro. No ano passado, a NiT captou imagens da rodagem no centro de Lisboa — Tokyo (Úrsula Corberó) e uma nova personagem interpretada por Miguel Ángel Silvestre estiveram a descer o Elevador da Bica.

Além disso, foram partilhadas imagens nas redes sociais de uma recriação de uma festa de Santos Populares em pleno Bairro Alto — e terá ainda havido gravações em Cacilhas. Quem também publicou uma foto com Úrsula Corberó foi o cantor e fadista português Buba Espinho.

“A Tokyo veio até Lisboa convencer-me e ao Luís Trigacheiro para sermos os atores principais da nova temporada da Casa de Papel… acho que não vamos aceitar. Gracias Úrsula!”, escreveu na altura o músico português.

Para antecipar a estreia da nova temporada (cujo trailer já pode ser visto), a NiT falou com Buba Espinho sobre este encontro. “Ela foi assistir a um espetáculo nosso na Embaixada, no Príncipe Real, é um espetáculo que fazemos regularmente. É sempre uma ou duas vezes por mês”, explica o músico.

“Entrámos para começar a cantar e damos de caras, na primeira fila, com a Úrsula. Ao início pensei que íamos ser assaltados [risos].” A atriz espanhola de 31 anos estava de máscara, mas Buba Espinho garante que ela é “irreconhecível”. “Não conseguimos reagir como nós queríamos, já estávamos em palco a tocar, foi olhar para baixo e começar a cantar. Ela estava com o cabelo como a personagem.”

Depois da atuação, estiveram alguns minutos a conversar e tiraram a tal fotografia. “Eu sou fã da série desde o início, na altura nem sequer sabia que eles estavam a gravar em Portugal, mas depois, em conversa com ela, esteve a dizer-nos que muitos episódios seriam cá. Ela foi muito fixe.”

Buba Espinho explica que foi um encontro rápido e com alguma distância tendo em conta a situação naquela altura. “Foi depois do primeiro confinamento. O contacto próximo não foi quase possível, só pudemos conversar com máscara, ela estava em gravações e não podia de todo ficar infetada, porque seria um risco para a série. Estivemos só a conversar um bocadinho mas nada de mais, dada também a situação que estávamos a viver na altura. Mesmo assim foi um momento muito engraçado.”

O músico garante que Úrsula Corberó “gostou muito” do seu concerto. “Ela diz que gosta muito de Portugal e da música portuguesa. Que gostava muito de fado — e nesse espetáculo pôde ouvir fado também, além de cante alentejano, de que gostou muito. E diz que sempre que pode vem até Portugal. Gostou muito do espetáculo, deu-nos os parabéns, e nós também lhe demos, porque também somos fãs do trabalho dela e de ‘La Casa de Papel’.”

Úrsula Corberó estava acompanhada de outras pessoas, provavelmente da produção da série, mas ninguém que Buba Espinho tenha reconhecido. O músico diz que está satisfeito com o facto de a cultura portuguesa estar representada na narrativa — provavelmente num flashback de Tokyo.

“Nós somos um país incrível, desde a música à gastronomia, e acho que é sempre muito bom sermos reconhecidos numa série com esta dimensão poder ter sido filmada cá. Mas não me deixa de surpreender, porque realmente somos um povo e um país maravilhoso.”

E acrescenta: “Estou curiosíssimo para ver. Eu já gostava muito da série, mas agora obviamente que vai ter este lado mais pessoal, porque de alguma forma acompanhei enquanto eles cá estiveram. Também já soube aí de mais algumas coisas que vão acontecer na série. Vai dar muito valor ao nosso País, à nossa música e ao nosso povo. Sei de mais uma coisa mas não posso contar [risos]. Mas tem a ver com a música portuguesa, vai ser bom de certeza”.

Isso significa que vai haver música portuguesa na última temporada de “La Casa de Papel”? “Eu acho que sim, vamos ver, não posso avançar, mas sei que vai haver um momento muito giro.” Buba assegura que não está envolvido. 

O músico tem vários concertos marcados para agosto (dia 7 em Cuba, dia 10 em Beja, dia 12 na Vidigueira, dia 13 em Barrancos, dia 20 em Aljustrel, dia 26 em Moura e dia 27 em Lisboa). Além disso vai voltar à Embaixada, no Príncipe Real, para atuar a 18 e 25 de agosto. As primeiras são datas de apresentação do álbum de estreia homónimo que lançou no ano passado. E já está também a preparar o segundo disco, que vai ter sobretudo temas originais. As gravações começam em breve.

Enquanto espera pela nova temporada de “La Casa de Papel”, carregue na galeria para conhecer outras novidades para ver na Netflix (e não só).

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT