Televisão

“Hell’s Kitchen”: Digam olá ao novo (e fofinho) Ljubomir Stanisic

Sem surpresas, armadilhas ou imprevistos, Stanisic abandonou a postura Jorge Jesus e encarnou em Bruno Lage, com palmadinhas nas costas, cumprimentos e desejos de boa sorte.
Não reconhecemos este chef

Não sabemos se foi o champanhe, a companhia ou a chegada do calor, mas a verdade é que o antepenúltimo episódio de “Hell’s Kitchen” chegou com um daqueles twists inesperados. Quando todos esperavam um Ljubomir Stanisic de faca nos dentes, a arrasar tudo e todos à medida que o programa se aproxima da grande final, eis que a faca fica no bolso e recebemos um chef em versão ursinho de peluche.

Até no habitual desafio, Stanisic preparou algo para os concorrentes que descreveu com “um prémio”. Uma ida a restaurantes premiados pelo famoso Guia Michelin para comerem e aprenderem a fazer um prato que teriam que replicar na cozinha. Estava tudo preparado para um desastre de proporções épicas.

Sem surpresas, armadilhas ou imprevistos, Stanisic abandonou a postura Jorge Jesus e encarnou em Bruno Lage, com palmadinhas nas costas, cumprimentos e desejos de boa sorte. E mesmo quando a derrota chegou — João, mais uma vez, nem provou a comida e serviu um prato sem sal a chefs com estrela Michelin —, o desastre foi recebido com um encolher de ombros. Stanisic tinha até simpaticamente dado mais 10 minutos de tempo ao atrasado João.

A asneira que noutro qualquer episódio teria provocado a ira do chef e apresentador, teve agora um efeito Xanax sobre Stanisic. É um homem novo que guardou as asneiras no bolso e as trocou por sorrisos. Mesmo na hora de (finalmente) pôr um fim ao penoso percurso de João no programa.

“Deves sentir-te orgulhoso pelo que apresentaste”, disse-lhe o chef. “Deste o teu máximo.” Por esta altura, estávamos todos à espera que Stanisic arrancasse a máscara, mas não. Era mesmo ele.

Apesar dos desastres de Rafaela e João, Stanisic ficou em êxtase com a prestação dos concorrentes na prova. De tal forma que decidiu comemorar com champanhe. “Quem sabe dar na cabeça, tem que saber elogiar quando corre bem (…) Fizeram um grande trabalho, estou mesmo orgulhoso. Fizeram-me feliz. Quando uma equipa dá tudo, trabalha bem, é tão bonito.”

Quando já pensávamos ter visto tudo — e esperávamos o regresso do animal feroz ao serviço de jantar —, Stanisic decide servir de saco de pancada dos concorrentes, literalmente. Numa ida ao ginásio onde treina boxe, ajudou os concorrentes a despejarem as frustrações.

A certa altura, Lucas atira um punho perigosamente perto do nariz do chef. Stanisic reagiu e o tremor de Lucas foi palpável mesmo através da televisão. O que Lucas não se lembrou é que estava perante a versão cor de rosa de Stanisic. “O que eu mais gosto é de levar pancada”, respondeu.

À noitinha, o serviço complicou-se com Lucas a encarnar numa versão pouco eficaz de Stanisic. E por onde andava o chef mais temido do País enquanto a cozinha pegava fogo? A abraçar simpaticamente os concorrentes, enquanto lhes dava mais um presente: a visita da família de cada um.

Só no momento da derradeira expulsão é que o olhar de Stanisic mudou. A nomeação de Rafa dada a Lucas levou o chef numa viagem — mais uma — aos tempos de guerra na Sérvia, onde terá sido protegido por um homem mais velho, durante um combate de trincheira. Tinha apenas 15 anos.

A história serviu de pretexto à expulsão de Rafa, feita num tom condizente com o Stanisic renovado deste último episódio. “Minha querida Rafaela, eu gosto mesmo muito de ti”, começou por dizer. “Fui a pessoa que tentou sempre puxar por ti. Fui quase o teu pai (…) mas tu hoje acabaste de me trair. Eu adoro-te miúda, mas tens que trabalhar o respeito humano, que é fundamental. Desejo-te a melhor sorte na vida.”

Não deixa de ser curiosa a opção de amolecer Stanisic no final de um programa que se definiu por dois princípios: a obsessão total pela dinâmica da cozinha, em prejuízo da comida; e o mau feitio do apresentador. A verdade é que este foi, provavelmente, o episódio mais calmo (e aborrecido?) da temporada, apesar de estarmos quase, quase no final. Façam o favor de tirar o Xanax ao chef.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT