Televisão

Lenda do xadrez processa a Netflix pela série “Gambito de Dama”

Nona Gaprindashvili está a exigir 4,26 milhões de euros pela falsidade da produção, que mina os seus feitos profissionais.
Foi um sucesso.

No final de 2020, saiu o veredito oficial da Netflix: a série “Gambito de Dama” foi vista por 62 milhões de pessoas nos primeiros 28 dias depois da estreia. Foi o maior lançamento de uma minissérie na plataforma de streaming.

Na passada sexta-feira, 16 de setembro, começaram a circular notícias sobre a entrada de um processo no Tribunal Distrital Federal de Los Angeles, nos Estados Unidos contra a plataforma de streaming. Nona Gaprindashvili, uma lenda do xadrez, está a exigir uma indemnização de cerca de 4,26 milhões de euros por ser mencionada no último episódio como a “campeã mundial feminina” que “nunca enfrentou homens”.

Gaprindashvili acusa a produção de “Gambito de Dama” de uma “falsidade devastadora” que mina e degrada os seus feitos para uma audiência com várias dezenas de milhões de pessoas. “Eles estavam a tentar criar uma personagem fictícia a abrir o caminho para outras mulheres, quando na verdade eu já tinha desbravado o caminho e inspirado gerações”, disse numa entrevista divulgada pelos advogados ao “The New York Times“.

A profissional alega ainda que competiu contra 59 homens no período em que decorre o último episódio da série, em 1968, um facto que já foi confirmado pelo jornal norte-americano. 

A Netflix já respondeu num comunicado, onde afirma ter “o maior respeito” por Nona Gaprindashvili e pela sua carreira, mas que a alegação “não tem valor” e que se vai defender do caso vigorosamente.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT