Televisão

Leonor Poeiras acusa psicanalista de assédio sexual e moral

A apresentadora de televisão fez a revelação numa entrevista. O especialista Frederico Pereira assume que enviou a mensagem.
Aconteceu em 2012.

Numa entrevista ao “Expresso” publicada esta sexta-feira, 7 de maio, a apresentadora de televisão Leonor Poeiras acusa o antigo psicanalista, Frederico Pereira, de assédio sexual e moral. É um dos especialistas mais conceituados na sua área e foi o primeiro reitor do Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA).

Leonor Poeiras explica que Frederico Pereira lhe diagnosticou uma depressão, que o acompanhamento psicológico foi fundamental naquela altura da sua vida, e que o assédio só aconteceu após 200 sessões, em setembro de 2012.

A apresentadora diz que era habitual trocar mensagens com o psicanalista. “Recorria a ele quando estava num momento muito mau. Era frequente trocarmos SMS ao domingo. Eram sessões muito íntimas: a terapêutica freudiana é muito assente num autoconhecimento que vem da nossa sexualidade. Entreguei-me por completo a esta pessoa. Só numa madrugada, ao fim de 200 sessões, é que eu percebi o que estava a acontecer”, disse ao “Expresso”.

Leonor Poeiras estava de férias numa cabana na Costa da Caparica, para desanuviar, quando recebeu uma mensagem de texto às 4h32. “Acordo, inquieto. Ao umbigo do sonho liga-se uma imagem: a sua. Pensamentos em turbilhão, desconexos: cabana solitária, porque não me convidas visita — uma manhã? Porque não me convida…? Porque não… Não sei o que digo, não sei o que penso. Perdoe-me esta intrusão em paisagens que são tão suas…”, podia ler-se na mensagem.

“Esta é uma mensagem erótica, erotizante, que me chocou profundamente. O que me enoja nisto tudo é ele acreditar que a sua investida podia ser bem recebida”, descreveu Leonor Poeiras. “Interpretei como sendo o desejo dele em se encontrar comigo, sim. Não é suposto um terapeuta ter este tipo de relação com uma paciente.”

Leonor Poeiras não respondeu à mensagem e Frederico Pereira, nos dias seguintes, enviou repetidas SMS e emails — até a desculpar-se. A apresentadora respondeu ao fim de uma semana, explicando que o comportamento era inadmissível.

As sessões acabaram ali, mas Leonor Poeiras revela que, pouco tempo depois, desagradado pela sua reação, Frederico Pereira usou o seu “poder como psicanalista” para lhe enviar um email de avaliação enquanto paciente. “É aí que ele me destrói e manda a minha confiança completamente abaixo. É uma avaliação grosseira, vingativa, que mostra um ego ferido”, diz, acrescentando ainda que demorou muito tempo a confiar em alguém após o sucedido.

A apresentadora conta que uma psiquiatra a aconselhou a não apresentar queixa, e Leonor Poeiras assume que na altura não queria que houvesse um processo público, no qual pudesse ser atacada por alguém que conhecia todos os detalhes íntimos da sua vida.

Explica também ao “Expresso”, que, no ano passado, com a pandemia e a saída da TVI, começou a fazer um balanço da sua vida. “E isto não me descia. Estava sempre na minha cabeça.” Em 2020, fez então uma queixa à Ordem dos Psicólogos. A entidade respondeu, porém, que a possibilidade de instaurar um processo disciplinar já tinha prescrito, tendo em conta que o prazo são cinco anos.

Em declarações ao “Expresso”, Frederico Pereira diz que não deve “responder a pessoas perturbadas”. Depois, assume que enviou aquela mensagem, embora a descreva como a “expressão de um sonho”. “De facto às 4 da manhã, quando acordei, terei dito essas coisas. Mas esse assunto ficou por aí. Não tem nenhuma insinuação sexual.”

Leonor Poeiras diz que é uma mulher diferente desde os acontecimentos de 2012. “Levou-me muito da minha inocência que eu preservava. Uma coisa muito triste foi o de ter posto em causa se o teria seduzido porque nas sessões falávamos de sexo. Quando abalam a confiança nesta forma tão profunda, os danos são elevados. Mas voltei à minha essência. Esta história deixou-me mais forte.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT