Televisão

Mais feminista e igualmente intensa. “True Detective” regressa à HBO com Jodie Foster

A atriz de 61 anos é uma das protagonistas da série que a mesma criticou por, no passado, ser "predominantemente masculina".
É a nova protagonista.

“Não sou grande fã das coisas horríveis que as pessoas fazem umas às outras na realidade. É por isso que sempre preferi os filmes, mas não me recuso a abordar estes tópicos nos meus trabalhos”, contou Jodie Foster à “Time”. A atriz de 61 anos tornou-se num nome incontornável do cinema de terror após protagonizar “O Silêncio dos Inocentes” em 1991, ao lado de Anthony Hopkins. O britânico interpretou o macabro Hannibal Lecter, uma personagem que continua a ser referenciada em muitos outros projetos deste género.

Na produção realizada por Jonathan Demme, Foster dava vida à ambiciosa detetive Clarice Starling. O papel rendeu-lhe um Óscar de Melhor Atriz em 1992. Volvidos mais de 30 anos, interpreta novamente uma agente da polícia, desta vez na quarta temporada de “True Detective“. Estreia na segunda-feira, 15 de janeiro, na HBO Max.

Quando foi originalmente lançada, em 2014, tornou-se num dos maiores fenómenos do canal de televisão norte-americano. Cada episódio da primeira temporada foi visto por cerca de 11,9 milhões de pessoas. Os últimos capítulos foram lançados em 2019 e agora regressa com novos episódios.

Apesar do êxito, a produção não escapou às críticas. A principal estava relacionada com as escolhas para os protagonistas. Trata-se de uma antologia, ou seja, as temporadas contam histórias diferentes, sempre com um elenco distinto. Este era, até então, predominantemente masculino.

A primeira iteração do projeto foi protagonizada por Matthew McConaughey e Woody Harrelson. A segunda contou com Colin Farrell, Taylor Kitsch e Vince Vaughn. Já nos episódios lançados em 2019, Mahershala Ali foi o ator em maior destaque.

“Esta é uma obra fantástica. Mas quando olho para trás só consigo pensar: ‘uau, isto só tem homens’. A narrativa girava muito à volta do sofrimento dos homens. Claro que isso também é importante, mas nós queremos abordar o mundo feminino. Então seguimos por um caminho diferente. Falamos da misoginia no mundo através de quem lida constantemente com isso, e não pelos olhos dos misóginos”, sublinhou Foster numa entrevista à “Time”.

Em “True Detective”, interpreta a detetive Liz Danvers, ao lado de Kali Reis, que dá vida à também polícia Evangeline Navarro. “Quando cai a longa noite de inverno em Ennis, no Alasca, os oito homens que operam a Estação de Pesquisa Ártica de Tsalal desaparecem sem deixar vestígios. Para resolverem o caso, terão de enfrentar a escuridão que carregam dentro de si e escavar as verdades assombradas que jazem enterradas sob o gelo eterno”, descreve a sinopse.

Estar de volta a uma história deste estilo é, para Foster, quase como uma viagem ao passado. Na verdade, descreve “O Silêncio dos Inocentes” como “a bisavó” da quarta temporada de “True Detective”. “Sinto uma conexão emocional com estas obras”, acrescenta.

Além das narrativas que acompanham investigações com contornos macabros, há outro aspeto que liga ambas as produções: o medo e pânico que suscitam nos espectadores. Um efeito “surpreendente” para Foster porque no set “é tudo bastante normal”. “É sempre fantástico ver a magia no ecrã e, mesmo assim, sentir arrepios. Tal como em ‘O Silêncio’, aqui não há muito sangue. O que mexe connosco é o que, por vezes, está implícito nas cenas”, descreve.

Mais difíceis foram os longos meses que teve de passar na Islândia. Apesar da história decorrer no Alaska, as filmagens foram feitas no norte da Europa. Um período que Foster viveu “em alerta constante”. “Sentia-me muito pequena por estar naquele sítio onde a natureza me pode matar facilmente”. No entanto, também se sentiu triste. “Consegui ver na primeira pessoa como a atividade humana está a mudar o nosso planeta”, acrescenta.

Uma das pessoas que a ajudaram a esquecer as temperaturas agrestes foi Kali Reis, de 37 anos, com a qual partilha maior parte das cenas. É principalmente conhecida pelo seu percurso no mundo do boxe, onde já ganhou seis prémios. Em Hollywood, é bastante novata. Antes disto apenas tinha feito uma minissérie, “Black Files”, e um filme (“Catch The Fair One”).

Desenvolveram uma relação de uma amizade e, acima de tudo, de admiração mútua. “É extraordinária. É uma lutadora galardoada internacionalmente e trouxe aquela energia feroz e muito disciplinada. É impossível parar de olhar para ela”, brincou Foster. Apesar da postura mais séria, é uma mulher “muito sensível e espiritual”.

Quando se conheceram pela primeira vez, a veterana contou-lhe o segredo para uma carreira duradoura — e que espera que todos os seus fãs sigam: “não temos de nos preocupar e trabalhar tanto”. “O importante é sentirmo-nos relaxadas. Algo essencial para sermos excelentes é não pensarmos demasiado, porque aí tornamo-nos na nossa maior inimiga”, garante.

A nova temporada de “True Detective” conta com seis episódios. Embora o primeiro seja lançado na segunda-feira, os restantes vão ser transmitidos semanalmente aos domingos — e chegam à plataforma de streaming no mesmo dia.

Carregue na galeria para conhecer as séries (e regressos) que chegaram em janeiro às plataformas de streaming e à televisão. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT