Televisão

Miguel Ángel Silvestre, o mulherengo descontraído que é o ator do momento em Espanha

O espanhol já teve sucesso fora do país, mas é a partir da sua terra natal que hoje em dia se destaca.
Um dos atores do momento.

A nova série da Netflix “Sky Rojo” chegou há bem pouco tempo mas os criadores já têm planeada uma segunda temporada, que terá mais oito episódios. Depois do espírito de perseguição que pautou a série, Moises, a personagem de Miguel Ángel Silvestre, acabou mesmo enterrada por entre as dúvidas que ficaram em aberto para o futuro de “Sky Rojo”.

Teremos de ficar à espera para saber o que se irá passar e se há mais Moises para descobrir. Entretanto, no próximo verão, poderemos finalmente saber o que é que o ator andou a fazer por Lisboa, nas filmagens da quinta temporada de “La Casa de Papel”. Aos 38 anos, se ainda não decorou o nome Miguel Ángel Silvestre é boa altura para o fazer. O galã com ar descontraído é presença cada vez mais assídua nos ecrãs.

Antes de aqui chegar, o ator esteve perto de uma carreira no ténis, mostrou que está à vontade no ecrã a fazer todo o tipo de cenas e, não por acaso, é um dos homens mais cobiçados em Espanha, com uma lista romântica que tem entretido a imprensa cor de rosa dos espanhóis.

Depois dos primeiros papéis no pequeno e grande ecrã, a série “Sin tetas no hay paraíso” (2008), um sucesso em Espanha, deu outro patamar de atenção ao ator. Nos anos seguintes, Miguel continuou cada vez mais a destacar-se. Teve oportunidade de trabalhar com Pedro Almodóvar, Penélope Cruz e Antonio Banderas, em “Os Amantes Passageiros” (2013).

Talvez a companhia do mais bem sucedido trio espanhol em Hollywood tenha servido de inspiração. Nos anos seguintes o ator passaria cada vez mais tempo em viagem. Passou por “Narcos” e foi depois um dos oito protagonistas interligados de “Sense8”, saído da imaginação dos Wachowski.

Em “Sense8” o ator era Lito, um ator que, apesar do sucesso com as mulheres, era gay. Com as suas reações dramática, a personagem foi uma das mais cativantes da série. Seria de esperar que o víssemos cada vez mais longe de casa. Mas não foi assim que as coisas se passaram.

“Queria estar mais perto da família” contou o próprio ao “El Pais” em 2019. O ator ainda não tem filhos mas é o “tio Migué” para os sobrinhos e percebeu que podia fazer a sua carreira em Espanha. “Agora uma das prioridades é estar perto da minha família e tenho tido a sorte de conseguir vários trabalhos em Espanha”, explicava. “Uma das coisas de que te dás conta quando viajas é aquilo que deixaste para trás”.

De volta a Espanha, o ator acompanhou esse comboio de alta velocidade que é a ficção espanhola dos últimos anos. Espanha é cada vez mais um player internacional, com projetos como “La Casa de Papel”, “30 Moedas” ou o mais recente “Sky Rojo” a destacarem-se. E sim, o ator entrou nas três séries e sempre com papéis bem diferentes.

Este sucesso trouxe uma inevitável atenção dos paparazzi. Na mesma entrevista, o ator contava que ficou surpreendido a primeira vez que encontrou um à porta de sua casa. Com o tempo, assumiu o lado prático da coisa: “não quero dar uma conotação negativa a algo que faz parte do sonho de ser ator. Gosto de pensar que é uma consequência do trabalho que faço”.

A relação com a fama, realça, é feita com “tranquilidade”. “Não questiono, deixo-me ir. Sinto-me até agradecido por toda a gente que se interessa. E é honestamente agradecido porque tenho consciência que, sem esse apoio, não arranjava trabalho”.

O cinema e a televisão são o seu sonho já a ser realizado mas o ator é cada vez mais cobiçado como modelo. No seu Instagram, onde tem mais de 3,5 milhões de seguidores (fruto de “Sense 8” e de ser uma das novidades da quinta temporada de “La Casa de Papel”), uma das suas mais recentes fotografias mostra a sessão que fez para a capa da “GQ”.

O sonho de ser ator, curiosamente, esteve em segundo plano durante muito tempo. Durante a adolescência, Miguel trabalhou para ser tenista profissional. Jogava bem, num país com tradição de campeões como Rafael Nadal.

Ao longo dos anos alguma imprensa referiu que foi uma lesão que o afastou dos courts. Mas não. “Não foi uma lesão. Dei-me conta de que não ia conseguir. Tinha 18 anos e disse ao meu pai: ‘não vou alcançar as expetativas, papá’. E o meu pai disse-me: ‘sem problemas, volta para casa, mas vais ter que estudar, filho’”. Ele assim fez.

Partiu para Madrid sozinho para se formar. Os seus primeiros papéis até foram no teatro mas foi o ecrã que lhe trouxe a fama. Começou aí um percurso romântico que continua a deixar em polvorosa a imprensa cor de rosa vizinha.

Uma das suas primeiras paixões conhecidas acabou por ser uma inspiração na carreira de ator, contou o próprio. Trata-se da atriz Belén López (“White Lines”). Seguiram-se outras, como a atriz Blanca Suárez, com quem esteve entre 2011 e 2015, a também atriz Albania Sagarra.

Em janeiro do ano passado chegou ao fim sua relação com a modelo Patricia Guirado. Em setembro já se falava de nova paixão. A atual namorada Claudia Ruíz Montoya, de 24 anos, que trabalha no departamento e comunicação de Agatha Ruíz de la Prada, foi o mais recente nome a juntar-se a uma crescente lista de conquistas famosas.

Em entrevistas, o galã não costuma abordar muito o seu lado romântico. O seu foco nesta altura continua a ser a carreira e essa, é fácil de ver, continua a ser um sucesso. Uma das razões é o à vontade do ator, que tanto mostra ter toques de humor nas suas personagens como cara de mau, que tanto filma cenas românticas, com atores e atrizes, e cenas intensas de ação, como combate na prisão no papel de um condenado.

Enquanto Moises se despede de nós em “Sky Rojo”, ficamos à espera de ver como fica no ecrã a novidade que é a chegada do ator ao elenco de “La Casa de Papel”. Aproveite para carregar na galeria e rever a série, com imagens exclusivas da NiT aquando das gravações do ator com a Tokyo, por Lisboa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT