Televisão

Não se deixe enganar: a nova série de animação da Prime Video é só para adultos

"Hazbin Hotel" já era um fenómeno no YouTube. Tem muita música, uma relação gay, palavrões e uma estrela de "Brooklyn Nine-Nine".
O fenómeno chegou ao streaming.

Os desenhos animados para adultos não são propriamente uma novidade. Já existem fenómenos bem consolidados como “Family Guy” e “Os Simpsons”. O que tem mudado nos últimos anos são os temas abordados. “Bojack Horseman” (2014), por exemplo, falava de tópicos como a depressão — e não se focava apenas nas aventuras loucas de uma família que vivia nos subúrbios de uma grande cidade.

A diversidade temática das histórias contadas neste formato é também maior, como prova “Hazbin Hotel“, que streou esta sexta-feira, 19 de janeiro, na Prime Video.

A narrativa acompanha Charlie, a princesa do Inferno. Tem um objetivo que parece impossível de realizar: reabilitar demónios e todos os que lá foram parar. Isto porque o lugar a que chama casa — governado por Lúcifer, o seu pai — está cada vez mais cheio.

Para tentar mudar o destino daquele mundo ardente, cria, lá está, um hotel onde os hóspedes fazem o check-in com esperança de rumarem ao Céu quando saírem (já melhores pessoas).

O elenco de vozes conta com nomes como Kimiko Glenn, de “Orange is the New Black”, Darren Criss (“Glee”), Brandon Rogers, um youtuber conhecido pelas suas paródias e personagens excêntricas, e Stephanie Beatriz, a Rosa de “Brooklyn Nine-Nine”.

Quanto à produção e aos temas que aborda, esta última atriz considera que “era necessária” e chegou no momento certo. “Gosto muito do facto de, no meio de toda a comédia perturbadora, existir uma história de amor gay, muitas piadas e dezenas de canções”, explica à “Inverse”. Sim, é uma série musical.

Stephanie Beatriz dá voz a Vaggie, uma espécie de terapeuta. “Adoro a minha personagem e é algo a que já estou habituada. Tenho um histórico de interpretar mulheres duronas, e ela é uma dessas. Mas também tem um coração de ouro e é apaixonada pela Charlie. Faz tudo por ela”, realça a atriz de 42 anos que, em 2019, assumiu ser bissexual — faceta que manteve escondida durante muitos anos “por ter medo” da reação do público.

Com “Hazbin Hotel”, espera poder ajudar outras pessoas que também se sentiram (ou sentem) como ela. “Acho que estamos a viver uma época fantástica no que diz respeito à representação da comunidade LGBTQIA+ nas artes. E espero que haja cada vez mais. Nunca vou desligar a televisão e pensar: OK, agora chega”, realça.

Quando foi convidada para o papel por Vivienne Medrano, a criadora, sabia que não podia recusar. Afinal, é uma obra que junta diferentes aspetos que sempre a chamam para um novo desafio em Hollywood: “piadas em cima de piadas e histórias com as quais nos podemos identificar”.

Quem também não poupa nos elogios é Erika Henningsen, a protagonista. Um dos seus aspetos favoritos é mesmo a vertente musical da série. “Os guionistas arrasaram nas canções. São vibrantes e entusiasmantes e, ao mesmo tempo, as letras mantêm-se fiel à minha personagem. Lembro-me de cantar pela primeira vez e sentir o corpo quente com todo o entusiasmo e animação. Espero que as pessoas consigam reparar nisso quando estiverem a ver os episódios”, confessa a estrela da Broadway de 31 anos.

Uma série que nasceu no YouTube

Algumas séries são um sucesso assim que estreia o primeiro episódio. Outras, tornam-se um fenómeno mesmo antes de chegarem à televisão. Foi esse o caso de “Hazbin Hotel” que, antes de ser uma produção da Prime Video e dos estúdios A24, já tinha um enorme público no YouTube.

A criadora da história foi Vivienne Medrano, conhecida na plataforma por VivziePop. O primeiro episódio foi partilhado no seu canal em 2019, e já conta com 94 milhões de visualizações.

“Nunca pensei que as pessoas se fossem importar tanto com todos os aspetos deste programa, desde as letras, à música, ao design das personagens e às suas personalidades”, diz à “Inverse”.

Bastaram apenas 31 minutos de conteúdo (a duração do episódio de estreia) para se formar uma legião de fãs à volta de Charlie e dos restantes intervenientes da narrativa. Uma breve pesquisa no TikTok revela cosplays que datam a 2020.

A nova leva de fãs, que surgirá após a estreia na Prime Video é simultaneamente entusiasmante e assustadora para Medrano, de 31 anos. “Reparam em todos os detalhes. Se colocarmos alguma coisa no cenário acidentalmente, vão começar logo a perguntar o que aquilo significa para a história”, comenta.

“Hazbin Hotel” tem oito episódios com cerca de 25 minutos cada. Os primeiros quatro já estão disponíveis. Os dois seguintes serão lançados a 26 de janeiro — ainda não há data de lançamento para os restantes. Sabemos, contudo, que uma segunda temporada já foi confirmada.

Carregue na galeria para conhecer as séries (e regressos) que chegaram em janeiro às plataformas de streaming e à televisão.

Áudio deste artigo

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT