Televisão

O ator português que aparece em “Bridgerton” (e que faz algumas das cenas mais eróticas)

Alfredo Tavares foi figurante na produção da Netflix e participou em 4 episódios. A NiT falou com o ator sobre a experiência.
A série estreou a 25 de dezembro.

“Bridgerton” estreou no Dia de Natal na Netflix e rapidamente se tornou numa das séries mais vistas de sempre da plataforma de streaming. Os mesmos produtores de “Anatomia de Grey” apresentaram uma história de amores, disputas, romances e intrigas no mundo das famílias nobres da Inglaterra do século XIX.

Tinha todos os ingredientes para que se tornasse um sucesso e foi o que aconteceu — e a Netflix confirmou entretanto que “Bridgerton” vai ter uma segunda temporada. E alguns dos principais atores, como Phoebe Dynevor e Regé-Jean Page, tornaram-se autênticas estrelas mundiais em menos de um mês.

No meio do vasto elenco da série, há um nome português que se destaca: Alfredo Tavares. O português de 46 anos, que em apenas dois anos passou de engenheiro em França para um dos principais figurantes de Hollywood (cuja história já contámos na NiT), trabalhou durante várias semanas na rodagem da produção.

As gravações aconteceram entre agosto de 2019 e fevereiro de 2020 — e Alfredo Tavares esteve lá durante algumas semanas, já que participa em quatro episódios: o primeiro, o terceiro, o quarto e o oitavo (que é o último).

Faz, essencialmente, duas personagens-tipo: de cidadão de classe alta, que aparece nos bailes a dançar ao lado dos protagonistas; e como “modelo” em algumas cenas eróticas.

Provavelmente consegue lembrar-se da cena em que somos apresentados a Anthony Bridgerton, quando o aristocrata está a ter relações sexuais com uma mulher junto a uma árvore. Acontece logo nos primeiros minutos de toda a série. 

Alfredo Tavares fez de duplo do ator Jonathan Bailey quando a produção quis repetir algumas cenas — e mudar em pós-produção o fundo que existia por detrás da árvore.

Sim, foi Alfredo Tavares quem fez estas cenas que se veem ao longe.

“Logo no princípio, vês-me a fazer amor contra uma árvore, era eu [risos]. Eu fui duplo do Anthony Bridgerton. Porque ele [o ator Jonathan Bailey] tinha que fazer outras cenas e eles queriam mudar o que se vê por detrás da árvore. Meteram-me uma peruca e eu fiz os movimentos, a fazer amor contra ela na árvore”, conta Alfredo Tavares à NiT.

“Depois fiz outra cena de sexo, no episódio 4, quando vês muita gente a fazer amor ao mesmo tempo, nas escadas”, acrescenta o figurante natural de Aveiro. “Enquanto cidadão de classe superior participei nos episódios 1 e 3, quando estamos no salão a dançar, com os atores principais no meio – e no último episódio, que foi cá fora, quando eles estão a dançar eu também dancei aí.”

Alfredo Tavares conta que foi uma boa experiência participar nesta grande produção e que foi bastante diferente de outra série do mesmo período em que entrou, “The Great” (que por cá está disponível na HBO Portugal).

“Esta série deu mais para rir, e tem muito luxo, são duas famílias que são das mais ricas de Inglaterra e são concorrentes. É uma coisa mais cómica e tem aquele ambiente antigo com os cavalos, as carroças.”

Alfredo, que já participou em séries como “The Crown” ou “Big Little Lies”, explica que a produção teve um orçamento gigante. “Filmámos no Hyde Park, o maior parque do centro de Londres, e foi preciso alugá-lo. E no Regent Park também. Além dos castelos. Foi preciso mesmo muito dinheiro.”

Os dias eram longos. Normalmente, Alfredo Tavares chegava ao local por volta das seis da manhã, e só saía ao final da tarde. A primeira coisa que tinha de fazer era entregar o telemóvel, para que a produção garantisse que nenhuma das centenas de figurantes tirava fotografias que pudessem comprometer a série ou divulgar informações indevidas.

Alfredo Tavares era engenheiro em França antes de ser ator.

Alfredo Tavares conta também que teve oportunidade de conhecer e de falar com atores como Phoebe Dynevor ou Regé-Jean Page, mas que apenas trocou impressões de trabalho, de cada cena em particular.

“Falámos de coisas mínimas da série, não podemos falar de coisas mais íntimas, porque isso é longe demais. Foi a primeira vez que os conheci e não deves falar com eles diretamente, não tens confiança, está toda a gente ali para trabalhar. Falei mais com os atores secundários das famílias. E às vezes os atores grandes são um pouco antipáticos e se metes conversa com eles vão logo falar com o produtor a dizer ‘este figurante está-me a chatear’ e tu podes ser despedido por causa disso, é perigoso. Falámos só sobre coisas normais da cena.”

O figurante português conta ainda como não teve quaisquer inibições em fazer cenas eróticas. “Não tenho vergonha de nada, posso fazer cenas nu, de sexo, eu posso fazer tudo, não me importo, sou um ator e faço todo o tipo de personagens. E tenho tido sorte em fazer grandes produções.”

Ainda não sabe se vai ser chamado para a segunda temporada, mas é algo que gostaria de fazer. Alfredo Tavares reside em Londres, no Reino Unido, e tem trabalhado em várias produções televisivas e filmes.

Além das participações como figurante, adianta à NiT que já vai ter pequenos papéis (com falas com os atores principais) em “Temple”, “Stellar Vortex” e “The Statistical Probability of Love at The First Sight”. E que vai ser o protagonista de dois filmes sobre os quais ainda nada se sabe, chamados “Subwater” e “Our Last Prayer”.

Conheça também a história verídica da rainha negra de “Bridgerton”, que tem uma ligação a Portugal. E conheça 10 peças para usar se for um fã da série.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT