Subscreva a nossa newsletter para receber as melhores sugestões de lifestyle todos os dias.

Televisão

“O Noivo é que Sabe”: o Rui esqueceu-se de tudo, até de convidar a sogra

O humorista e cronista Miguel Lambertini analisa o mais recente episódio do programa da SIC.
Rui e Carla não tiveram o casamento mais pacífico.

A 24 horas do dia do casamento, a mãe do Rui achou que seria prudente fazer um ponto de situação, para confirmar que o noivo não se tinha esquecido de nada: tenda para colocar os convidados (check), sobremesas e café (check), fotógrafo (check), maquilhagem para a noiva (check), padre ou celebrante (check), alianças (check), convidar os pais da noiva (check).

Pronto, agora que já elencámos todas as coisas que o noivo não se lembrou de preparar, vamos conhecer um pouco mais do casalinho que — vá-se lá saber como — deu o nó este domingo, 8 de novembro, em “O Noivo é que Sabe”, na SIC.

Ela chama-se Carla, Carlota para os amigos. Ele chama-se Rui, Rui para os amigos, e conheceram-se através de uma app de encontros. Carla conta que namorava. “Um dia descobri que o meu namorado tinha conversas ativas numa aplicação de encontros. Decidi investigar e criei uma conta para perceber como funcionava. Sem querer, fiz likes a mais de cem homens num dia e até conquistei o estatuto de utilizadora premium. Foi assim que fiz match com o Rui.” 

Vamos por partes. Ora, portanto, a Carla Carlota tinha um namorado que andava a engatar no Tinder e ela, o que é que faz? Em vez de lhe atirar com o telemóvel à cabeça e acabar com ele, não, a Carla Carlota é mais ardilosa e inscreve-se na app onde o namorado andava a engatar, para “investigar”. Leia-se, “deixa cá ver quem são as porcas que querem roubar o meu homem”.

Ou seja, a Carla é como aqueles polícias à paisana, das séries americanas. Infiltram-se em gangues que traficam droga mas eles próprios acabam por ficar agarrados e já não conseguem voltar atrás. É que, sem querer, a rapariga fez likes a mais de cem homens num só dia. “Sem querer”, sim, sim, eu também faço montes de coisas sem querer, ainda ontem encomendei uma Playstation 5 sem querer. Quando era mais novo então acontecia-me muito, só queria ir beber um copo, mas depois a pessoa distrai-se e de repente acorda no dia seguinte com um anão e um casal de indianos a dormir ao nosso lado, sem saber porquê. E pensa: “vou acordá-los? Naan”. E depois fugimos, sem fazer barulho.

Carla Carlota e Rui conheceram-se numa app.

Depois de tomarem a decisão de casar num programa de televisão, os noivos foram contar a boa nova às respectivas famílias. “Mãezinha do meu coração, és tão linda.” O Rui fez aquela introdução que os miúdos de oito anos fazem quando querem contar à mãe que partiram a urna com as cinzas da avó. Se eu fosse ter com a minha progenitora e iniciasse a conversa com uma frase destas, provavelmente a minha mãe começava por ligar para o advogado e depois perguntava quem é que eu atropelei.

A reação dos pais dos noivos neste caso foi um pouco mais efusiva: “Vocês são loucos”, diz a mãe de Rui. “Tu ‘tás é maluca”, diz a mãe de Carla Carlota, enquanto uma Mona Lisa gigante pendurada na parede espreita por cima do seu ombro com aquele clássico olhar de desapontamento. Depois desta verdadeira onda de apoio e confiança que os noivos receberam da família, a noiva foi experimentar o vestido que Rui escolheu para si. Pergunta a funcionária da loja: “Como é que se sente?” Carlota suspira e responde “Ordinária… ordinarona, vou ser excomungada pela igreja Católica”. 

É pouco provável, Carla, até porque o Papa Francisco aos domingos à noite gosta mais de ver o “Big Brother”. Além disso, nem sequer há celebrante, quanto mais padre. Quando se apercebe desta falha já em pleno casamento, Cláudia Vieira grita para o grupo de convidados. “Está alguém presente que possa celebrar o casamento do Rui e da Carla?” E, já agora, devia ter aproveitado para perguntar: “Está algum médico presente que possa reanimar o Rui, depois de a Carla o esganar?” Acho que tinha sido mais útil.  

Já em desespero de causa, Rui pediu à prima Fátima para celebrar a cerimónia. A senhora, que me fez lembrar a Lili Caneças depois de ir cinco minutos ao microondas, assumiu o papel e apesar de estar nervosa cumpriu brilhantemente a sua missão. Depois de uma longa espera, em que Rui achou provavelmente que a sua noiva o tinha trocado por um dos outros 50 homens com quem fez match no Tinder, Carla Carlota acabou mesmo por chegar.

Carolina, a mãe da noiva, comenta emocionada: “Quando vi a minha filha caminhar até ao altar fiquei… com uma tristeza tão grande” e acrescentou “tirem-me daqui, tirem-me deste inferno”. Mas eu até percebo a senhora, o genro nem sequer a convidou para o casamento, a filha sente-se uma ordinarona e o padre é a Lili Caneças. Ao ver o ar desolado da nova sogra, Rui exclama: “não fique assim, eu depois vou lá a sua casa comer aquele bifinho bom”. Rui, eu não faria isso, é que depois disto tudo é muito provável que a D. Carolina tempere os teus bifes com uma pitada de cianeto. Sem querer, claro.   

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT