Televisão

Pessoas em isolamento deveriam ter acesso gratuito a plataformas de streaming

A proposta chega de um grupo de investigadores que tem aconselhado o governo britânico sobre a sua ação na pandemia.
A medida pode ajudar a combater a doença

Parece conveniente. Demasiado conveniente para ser verdade. O facto é que esta é mesmo uma recomendação dada por um grupo de cientistas britânicos que têm aconselhado o governo de Boris Jonhson na melhor forma de travar a disseminação da pandemia.

De acordo com um documento elaborado pelo Independent Scientific Pandemic Infuenza Group on Behaviours — um grupo independente que analisa a ciência comportamental associada a pandemias, neste caso gripe e Covid-19 —, garantir o acesso gratuito a plataformas de streaming pode ajudar a diminuir potenciais contágios por pessoas já infetadas.

Um dos exemplos dados pelo grupo é o do surto de SARS no Canadá, onde muitas pessoas em isolamento usufruíram de apoio de pessoas externas para tratar de diversas tarefas essenciais, como compra de comida. Além de recomendar que o mesmo seja garantido pelo governo, isto é, acesso a alimentos e medicação, de forma a que quem está em auto-isolamento não corra riscos.

Ainda nesta lógica, frisam que é vital fornecer “o apoio em tarefas e recados que possam de outra forma impelir alguém a deixar a sua casa”. Para lá das ajudas essencias, revelam que é necessária uma postura proativa e personalizada para identificar as necessidades de cada uma das pessoas em isolamento por infeção.

Tudo para evitar “o aborrecimento e a frustração” que são fulcrais nos “comportamentos de não cumprimento do isolamento”. “Por exemplo, deveria ser considerada uma parceria com a indústria de entretenimento para fornecer acesso gratuito a jogos e a plataformas de streaming”. A proposta vai mais longe e propõe até a criação de inventivos extra para todos os que estejam e se mantenham em isolamento rigoroso.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT