Televisão

Polémico anúncio de TV ao “dia da fecundação” do dono da Prozis custou quase 4 milhões

Miguel Milhão comprou um spot publicitário "pró-aborto" para comemorar o próprio aniversário. Foi transmitido 218 vezes na televisão.
O fundador da Prozis é alvo de grandes polémicas.

Miguel Milhão, de 41 anos, dono da Prozis — empresa de suplementos desportivos —, mas não só. O empresário tem sido alvo de inúmeras polémicas, devido à sua posição sobre temas da atualidade. A mais recente está relacionada com um spot publicitário exibido nos quatro canais generalistas, cujo custo tabelado ronda quase 4 milhões de euros. 

O anúncio passou no intervalo da Taça de Portugal, entre o FC Porto e o Sporting a 26 de maio. No vídeo de 20 segundos, podiam ver imagens digitais, acompanhadas por batidas eletrónicas e animações de espermatozoides e zombies. No topo de uma montanha vê-se um rapper que diz “celebrar o dia da fecundação” e, por baixo, surge a seguinte frase aparece esculpida: “Parabéns Guru Mike Billions”. 

O fundador da marca esclareceu nas redes sociais que se tratava do seu aniversário, que o próprio considera o “dia da fecundação” — “vou pôr isto na TV para os meus amigos zombies celebrarem comigo”, escreveu. O anúncio, que terá sido um presente de aniversário oferecida ao próprio, trata-se também de um comentário sobre o direito à interrupção da gravidez (IVG).

Segundo o “Expresso”, a publicidade tem um custo tabelado total de 3,88 milhões de euros, “mais do que o apoio público que a empresa vai receber através do Plano de Recuperação e Resiliência”. As contas foram feitas pela IPG Mediabrands, uma empresa de meios e publicidade, a pedido do jornal. 

Ainda assim, os próprios acautelam que, “uma vez que o espaço publicitário foi adquirido através de outra agência publicitária, o preço final poderá ter sofrido um grande desconto”. A empresa em causa foi a Nova Expressão, que gere também a negociação dos anúncios da Prozis, adianta o semanário.

O anúncio chegou aos ecrãs pela primeira vez no dia da final da Taça de Portugal — o que levou a que os preços tabelados aumentassem, por ser uma ocasião com mais audiências. O spot foi transmitido 218 vezes: quatro na RTP, 159 na TVI, 41 na CMTV e 14 na SIC. Foi visto por 5,8 milhões de pessoas. 

Apesar de se tratar de um vídeo com uma mensagem controversa, os especialistas asseguram que não há nenhuma ilegalidade. Mesmo ao abrigo da lei n.º 27/2007, a “lei da televisão”, e a lei n.º 72-A/2015, que “regula a propaganda eleitoral através de meios de publicidade comercial”, as imagens são tão abstratas e necessitam de tanto contexto que não foi verificado nenhum carácter de ilegalidade. 

Milhão chegou a escrever, em 2022, que “os bebés por nascer voltaram a ganhar os direitos nos EUA”, após o Supremo Tribunal dos Estados Unidos reverter a decisão do histórico caso Roe Vs. Wade, que estabelecia o direito ao aborto, reconhecendo que a Constituição dos Estados Unidos protegia, em regra, a liberdade de uma mulher grávida que o quisesse fazer. 

Depois desta e muitas outras controvérsias, a posição oficial da marca passou a adotar a narrativa da defesa pela liberdade de expressão. Após inúmeras polémicas — que o próprio foi sempre alimentando com “declarações cada vez mais incendiárias” — Milhão assegura que tudo o que se seguiu não passou de um plano para publicitar a Prozis.

“Cheguei à conclusão que a ‘mob’ são como os zombies. Os zombies são seres humanos que foram contaminados por um vírus que lhes retira a capacidade de pensar — ficam autómatos, e o seu único objetivo é infetar outros humanos. Não vencem pela inteligência ou agilidade, mas sim pelos números”, afirmou em 2022, ao jornal “Negócios”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT