Televisão

Porque é que “Lucifer” vai mesmo acabar com a sexta temporada?

A série da Netflix chegou ao fim na sexta-feira, 10 de setembro, com os últimos dez episódios.
Há 10 novos episódios para ver.

Foi uma longa e inesperada jornada para “Lucifer”. Em 2018, depois de três temporadas de sucesso mediano, “Lucifer” foi cancelada pelo seu canal de televisão, a Fox. O protagonista, Tom Ellis, estava numa convenção de fãs em Roma, Itália, quando descobriu. “Fiquei completamente em baixo quando soube”, contou o ator britânico ao “The Guardian”.

14 horas depois, a notícia tornou-se pública. Os fãs dedicados da história lançaram de imediato uma campanha nas redes sociais, apelando a que a série fosse salva. No dia seguinte, um executivo da Warner Bros — responsável pela produção — ligava a Tom Ellis. “Sabemos desta reação e estamos à procura de uma nova casa para ela”, explicou Peter Roth.

Ellis vestiu a camisola e começou ele próprio a fazer campanha para que alguma estação de televisão adquirisse os direitos de “Lucifer” — para que a narrativa pudesse continuar de alguma forma, em resposta aos imensos pedidos dos fãs.

“Foi uma altura estranha, porque me estava a pôr contra aquilo que eu achava que ia acontecer. Até contra os conselhos da minha equipa. Toda a gente dizia: ‘É muito, muito improvável que isto aconteça’. E eu continuava: ‘Então estás a dizer que ainda há uma chance?’”, explicou Ellis ao jornal britânico.

A Netflix acabou por entrar em ação e salvar o dia ao comprar “Lucifer” — para regozijo de milhares e milhares de fãs. Portanto, depois de se despedir da série, Ellis regressou à personagem para dar continuação ao enredo.

A quarta temporada foi produzida e estreou na plataforma de streaming em 2019, onde conquistou um novo estatuto e popularidade. Agora que estava disponível na grande maioria dos países, o público era de milhões e milhões de pessoas. A série explodiu e tornou-se numa das mais vistas a nível mundial.

“A série é muito, muito popular em países católicos”, comentou Tom Ellis na mesma entrevista, sobre a ironia de interpretar o próprio Diabo. “Acho que há um fascínio com o Diabo em si, e não tem só a ver com a série.”

Na Netflix, a liberdade é maior. “Lucifer” começou a ter episódios mais longos, com menos regras, e sem problemas em arriscar mais — houve momentos relativamente experimentais ao longo da quinta temporada, que chegou à plataforma em 2020. Era para ter sido a última, já que era o plano dos criadores assim que fizeram o acordo com a Netflix, mas no ano passado chegou o anúncio surpresa: ia haver uma sexta temporada — que seria mesmo a final.

“Eu tinha planeado passar essa temporada [a quinta] no meu próprio processo de luto. E depois, mesmo no final, literalmente quando já sabíamos como é que íamos acabar a série, recebemos uma chamada da Netflix: ‘Gostavam de fazer uma nova temporada?’”

Disseram que sim. O resultado chegou na sexta-feira, 10 de setembro, à plataforma. São dez novos episódios que concluem definitivamente a narrativa — e já tomaram conta das tendências do catálogo nacional: “Lucifer” está em primeiro no top 10.

Em entrevista com a “Newsweek”, o ator Kevin Alejandro (que interpreta Dan Espinoza) contou que ele e o resto do elenco sentiram o levantar de um peso com esta sexta temporada — ficaram satisfeitos com a forma como a história tinha sido concluída.

“Sentimos que era real. Sentimos que desta vez era mesmo o fim. Acho que ‘Lucifer’ teve uma jornada muito interessante, do início ao fim. Amámos aquilo mas estávamos preparados para abraçar o facto de que tínhamos de seguir em frente. Foi triste e foi tão emocional quanto esperado para um grupo de pessoas que está junto há seis anos para seis temporadas”, explicou o ator.

E acrescentou: “Acho que pegámos de forma responsável na história, demos 150 por cento das nossas almas, e criámos algo de que as pessoas não só gostam mas respeitam, e pudemos encerrá-la de uma forma respeitosa, para que as pessoas digam ‘Ainda bem que investi nesta série. Adoro que tenha ido nesta viagem’ em vez de ‘aquela série era realmente boa até à sétima temporada’.”

À “Entertainment Weekly”, os criadores da série, Joe Henderson e Ildy Modrovich, explicaram no ano passado como foi o processo de avançarem para uma sexta temporada — e disseram porque é que não vai haver uma sétima.

“[No início, estávamos do género]: Não, isto é perfeito. Se fizermos isto [a renovação para a sexta temporada] vai arruinar tudo. Três dias depois: como é que nós não quereríamos fazer isto?”, disse Joe Henderson.

Ildy Modrovich acrescentou sobre como foi fazer a transição e expandir a narrativa para uma sexta temporada: “É a história que já íamos contar, mas escrita de forma muito mais alargada, e para mim, ficou muito mais interessante. E parte-me o coração pensar que não o iríamos fazer desta forma. Queríamos mesmo explorar como é que as nossas personagens acabam onde acabam”.

Tendo em conta que este final desejado estava previsto há bastante tempo e que os criadores da série conseguiram explorá-lo de forma aprofundada, como queriam, sem deixar pontas soltas por resolver, “Lucifer” chegou mesmo ao fim — ainda que muitos fãs continuem a desejar o regresso da história nas redes sociais.

Agora que “Lucifer” terminou, carregue na galeria para conhecer outras novidades da Netflix (e não só).

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT