Televisão

Robert Irwin: o filho do Caçador de Crocodilos é um sex symbol cheio de pinta

Viu o pai, Steve, morrer num ataque de uma raia com apenas três anos. Acabou por seguir a mesma carreira e tornar-se mundialmente famoso.
E tem apenas 18 anos

Uma jovem viajou dos Estados Unidos para a Austrália, apenas para pedir o número de telefone a Robert Irwin. A tentativa de engate foi partilhada no TikTok e, apesar da rejeição cavalheiresca, tornou-se viral.

Irwin é, claro, o jovem filho de 18 anos de Steve Irwin, o famoso Caçador de Crocodilos e encarnação real de Crocodile Dundee que morreu vítima de um acidente em 2006. O filho seguiu-lhe os passos e é, igualmente, uma personalidade televisiva que dedica o seu tempo a exibir animais exóticos. Mas não só.

A tentativa da norte-americana saiu frustrada, mas veio dar ainda mais razão a quem, por estes dias, está estupefacto a olhar para a capa da “Stellar”, revista que fez Irwin brilhar na capa, desta vez como ícone de estilo. O jovem de 18 anos deixou os calções e camisa caqui, aprumou-se e mostrou que tem mais talento além do de domar animais selvagens.

O próprio partilhou a capa com os seus mais de três milhões de seguidores no Instagram. “Bem, isto foi definitivamente diferente”, comentou.

O pai tornou-se numa das maiores figuras do mundo animal e da televisão, primeiro na sua Austrália, depois um pouco por todo o mundo. Também Steve cresceu influenciado pelo pai, rodeado de crocodilos e outros répteis. Foi ao lado da mulher, Terri, que brilhou em “The Crocodile Hunter”, um programa sobre vida selvagem e que protagonizou até à sua morte em 2006. Foi durante as filmagens de um documentário, na Austrália, que morreu vítima de um ataque de uma raia. A cauda pontiaguda do animal perfurou-lhe o peito e o ferimento foi fatal.

Muito antes de saber andar ou falar, Robert era já uma figura mundialmente conhecida. Isto depois do pai, Steve, o ter usado num dos seus desafios. Robert tinha apenas um mês quando, em janeiro de 2004, o pai o carregou ao colo para dentro de um recinto onde vivia um crocodilo com perto de quatro metros de comprimento.

Sempre com o recém-nascido na mão, Steve puxou de uma carcaça de uma galinha e alimentou o animal selvagem. A manobra gerou uma enorme controvérsia, com muitos a compararem-no a Michael Jackson, quando balançou o filho recém-nascido da janela de um hotel na Alemanha.

O escândalo obrigou o governo a tomar medidas e a implementar leis que proibissem a entrada de crianças e adultos sem treino específico em recintos fechados com crocodilos.

Robert tinha apenas três anos quando o pai morreu. A notícia foi dada pela mãe, Terri, a Robert e à irmã Bindi, então com oito anos. Apesar de ser muito jovem, a morte do pai teve um impacto forte. “Ele sentava-se na banheira a chorar e a dizer ‘Quero o papá'”, revelou a mãe em 2018.

Apesar de ter apenas 18 anos, Robert já assumiu o negócio da família. A carreira começou aos seis anos, quando fez uma aparição no filme “Free Willy: Escape from Pirate’s Cove” e, mais tarde, com a irmã numa série sobre o pai. Ao mesmo tempo, começava a aprender o negócio da família: lidar com animais selvagens. Hoje, faz praticamente tudo o que o pai fazia, domar crocodilos, manusear cobras e outros animais perigosos no Zoo da Austrália, criado pelos Irwin e hoje gerido pela mãe, Terri.

Aos poucos, começou a tornar-se numa estrela de televisão e em 2017, entrou com fulgor no mercado americano, ao aparecer no programa de Jimmy Fallon. Consigo levou uma série de animais com que confrontou o apresentador. O segmento teve tanto sucesso que Irwin se tornou num convidado regular. Desde 2017, já passou pelo programa por onze ocasiões.

Além de tudo isto, Robert Irwin é também um talentoso fotógrafo de vida selvagem. Tinha apenas 14 anos quando recebeu o segundo prémio na categoria júnior para Fotógrafo do Ano da Australian Geographic Nature, além de ser um dos fotógrafos residentes da revista do seu zoo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT