Televisão

“Bárbaros” é a nova série épica da Netflix para todos os fãs de “Vikings”

Há traições, batalhas e sangue em "Bárbaros", série que nos traz um marcante episódio da história.
O princípio do fim do Império.

Com saudades de “Vikings” e de saber como chega ao fim o legado de Ragnar e os seus filhos? A solução talvez esteja na Netflix, onde a recente produção “Bárbaros” estreou na sexta-feira, 23 de outubro, e por esta altura já está bem colocada no topo das preferências dos utilizadores portugueses da plataforma.

Se há coisa que a história nos ensina é que, na guerra, nem sempre o exército mais poderoso sai vencedor. Muitos grandes exércitos já sentiram na pele essa dura realidade. Aconteceu com soviéticos e americanos nas últimas décadas no Afeganistão. Os EUA foram mesmo obrigados a desistir da Guerra do Vietname. Mesmo Portugal mostrou que sabia enfrentar invasores ao longo da história, fossem eles tropas de Napoleão ou, antes disso, castelhanos, com destaque para a histórica batalha de Aljubarrota, em 1385.

Antes de tudo isto, no ano 9 D.C, foi a vez de o poderoso Império Romano sentir com estrondo o peso de uma derrota. Naquele tempo, a lei de Roma ia além das margens do Rio Reno, onde viviam, muitas vezes em guerra entre elas, as mais diversas tribos. Para os romanos eram todos iguais chamavam-lhes bárbaros.

Roma tinha um exército maior, experiente, mais bem preparado, bem equipado e com táticas consagradas. Simples coragem e união não bastaria para os enfrentar. Era preciso estratégia e, se possível, uma boa dose de traição. Os tais bárbaros tiveram tudo isto naquele ano, na batalha da Floresta de Teutoburgo.

É esta batalha que é central em “Bárbaros”, produção da Netflix que mostra que há mais televisão alemã na plataforma além da bem sucedida “Dark”. Arne Nolting, Jan-Martin Scharf e Andreas Heckmann são os criadores do projeto cuja narrativa se centra em três personagens em particular.

A derrota que Roma tentou esconder.

Isto aconteceu mesmo?

Arminius (Laurence Rupp), Thusnelda (Jeanne Goursaud) e Folkwin (David Schütter) são três figuras que se cruzam na infância e se vão reencontrar no ano em que a série decorre. Arminius foi levado em miúdo para ser criado entre romanos.

A série naturalmente toma algumas liberdades em relação à história mas há aqui uma base de realidade. E Arminius foi de facto essencial para uma derrota tão violenta que Roma se viu obrigada a escondê-la, para que os romanos não duvidassem do poderio do império. A história encarregar-se-ia de confirmar que Roma podia falhar e ruir. Não por acaso, nos séculos seguintes os bárbaros acabariam por ser parte fulcral da queda de Roma.

Antes de tudo isso, houve a tal batalha da Floresta de Teutoburgo. Roma queria cimentar o seu poder na região, mantendo um vasto território a quem pudessem cobrar tributos. Outrora desunidos em diversos tribos, os povos daquela região uniram-se.

Arminius, regressado a terras germânicas como líder militar, conseguiu convencer Varus, o homem escolhido por Roma para governar o território, a levar as suas tropas por caminhos sinuosos.

Legiões romanas andaram numa autêntica caça a gambuzinos, cansando-se e desorganizando-se em território desconhecido. Com métodos de guerrilha, os romanos foram sendo fustigados até que acabaram por ser derrotados em batalha. Três legiões romanas terão sido dizimadas sob as espadas e machados dos tais bárbaros. A série mostra-nos este lado épico de confronto mas também o conflito interior de Arminius e as traições que, de parte a parte, animaram a história.

Sem a complexidade de “Vikings” ou de “The Last Kingdom”, cada uma já com várias temporadas às costas, nem a quantidade de sangue e os diálogos loucos de “Spartacus”, é ainda assim uma produção já de alguma dimensão, capaz de cativar os adeptos de batalhas épicas. Tem ainda o cuidado de saltar entre o alemão e o latim, um detalhe que merece o elogio.

A primeira temporada de “Bárbaros” conta com seis episódios, já disponíveis na Netflix. Ainda não se sabe se a plataforma vai avançar para uma segunda temporada. Pode ver em baixo o teaser da série.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT