Televisão

O novo documentário focado num dos principais serial killers de “Mindhunter”

Durante nove anos matou e desmembrou dez mulheres. Uma delas era a própria mãe.
Matou dez mulheres.

Estão por trás de alguns dos crimes mais hediondos da história e é também por isso que geram tanta curiosidade por todo o mundo. Falamos-lhe de serial killers, ou assassinos em série, que continuam a ser alvo de estudo a cada ano que passa. Há alguns nomes famosos, como Charles Manson, Jeffrey Dahmer ou Ted Bundy. Edmund Kemper é outro assassino bastante notório, cuja sua história será contada no documentário “Mind of a Monster”, do canal ID, da NOS. Vai ser transmitido a 7 de novembro, a partir das 22 horas.

Tal como Ted Bundy, Edmund Kemper usava o seu charme para atrair as vítimas. Era um gigante (de 2,06 metros) simpático e culto que oferecia boleia a jovens universitárias. Kemper era também super inteligente, com um QI de 145. Talvez tenha sido isso que lhe permitiu fugir da polícia durante anos a fio.

Kemper foi responsável pela morte e desmembramento de dez mulheres, incluindo a própria mãe, que foi a sua primeira vítima. O primeiro crime aconteceu em 1964. As vítimas continuaram a surgir até 21 de abril de 1973.

Apelidado pela imprensa como “The Co-Ed Killer”, por matar raparigas que estudavam em instituições de coeducação, ou ensino misto, Edmund Kemper foi um dos primeiros assassinos em série a ser estudados pelo FBI.

Não é a primeira vez que Edmund Kemper será retratado para uma produção de entretenimento. Interpretado por Cameron Britton, o assassino em série apareceu em quatro episódios de “Mindhunter”, onde foi uma ajuda essencial para a captura de Charles Manson.

A prestação do ator nesta série da Netflix rendeu-lhe uma nomeação na categoria de Melhor Ator Convidado numa Série de Drama nos Emmys de 2018.

Carregue na galeria para descobrir outras novidades televisivas de outubro que vale a pena ver.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT