Televisão

Tudo o que já sabemos sobre a segunda temporada de “The Last of Us”

Tem sido considerada uma das melhores séries do ano. As expectativas em relação aos próximos capítulos estão bastante elevadas.
A série vai ter mais "temporadas".

Na segunda-feira, 13 de março, estreou na HBO Max Portugal o último episódio da primeira temporada de “The Last of Us”. O final foi intenso, violento mas também revelador de uma grande cumplicidade entre os dois protagonistas, Joel (Pedro Pascal) e Ellie (Bella Ramsey).

A primeira temporada foi um autêntico sucesso. Tanto foi aclamada pela crítica especializada como obteve resultados estrondosos de audiências — e já é considerada por muitos como a melhor adaptação de sempre de uma saga de videojogos.

Os criadores da produção, Craig Mazin e Neil Druckmann, já confirmaram que estão a desenvolver mais “temporadas” — embora não tenham adiantado um número específico. Certo é que a segunda vai começar por adaptar o segundo (e até agora último) jogo, que foi lançado em 2020.

Não há qualquer data de estreia prevista, até porque a gravação dos próximos episódios não deverá arrancar tão cedo. Só no passado mês de fevereiro é que foi totalmente definida a equipa de argumentistas que irá trabalhar na adaptação. Porém, em declarações ao “Collider”, Pedro Pascal disse que havia uma hipótese que as filmagens começassem ainda este ano.

Uma das poucas críticas que alguns espectadores fizeram a “The Last of Us” foi a pouca presença de cenas com infetados — os humanos tornados zombies graças ao fungo letal. Craig Mazin e Neil Druckmann explicaram em diversas declarações que teriam de ser partes importantes para a narrativa para aparecerem (foi uma das adaptações que tiveram de fazer face ao jogo) mas deram a entender que haverá mais infetados — de diferentes tipos — na próxima temporada.

O que se passa no segundo jogo de “The Last of Us”?

Tendo em conta que a primeira temporada da série foi particularmente fiel ao videojogo, podemos esperar que a segunda também seja próxima daquilo que se passa nas consolas. A continuação da história é brutal e surpreendente — não continue a ler se não quiser descobrir alguns dos principais acontecimentos da narrativa.

No segundo jogo de “The Last of Us”, Ellie descobre — após ler uma carta deixada por um Pirilampo — que aquilo que Joel lhe disse que aconteceu no hospital é mentira. Embora tente perdoá-lo, essa descoberta vai fraturar a relação entre ambos, que nunca mais será a mesma.

Além disso, existe uma pessoa que procura Joel em busca de vingança. Abby faz parte de uma organização militarizada sediada em Seattle. Ela é a filha do médico que Joel matou na sala onde Ellie iria ser operada — por outras palavras, o especialista que podia ter nas mãos a cura para a humanidade.

É por Joel o ter assassinado que Abby aparece no seu encalço — e acaba mesmo por o conseguir matar, numa fase relativamente precoce da narrativa. No jogo, os utilizadores oscilam entre manobrar Joel, Ellie e a própria Abby. No fundo, são levados a desenvolver alguma empatia pelas diferentes personagens, que têm pontos de vista e contextos distintos. Tal como se mostrou na série, a ideia é explorar dilemas morais e descobrir até quão longe as pessoas estão dispostas a ir, no fundo, por amor. Às vezes, a vingança é apenas uma consequência disso. Depois da morte de Joel, é a própria Ellie que busca vingar-se de Abby.

Embora Joel morra cedo, no jogo ele continua a aparecer múltiplas vezes em flashbacks de Ellie — o que significa que a personagem pode permanecer ao longo de toda a segunda temporada, até porque este segundo jogo irá originar pelo menos duas temporadas, tendo em conta as declarações dos responsáveis pelo projeto. 

Depois da sua morte, Ellie conhece Dina, que se torna a sua nova companheira de viagens. A dinâmica entre elas torna-se também fulcral para o desenvolvimento do enredo — já que vão formar uma ligação romântica. Não está de todo confirmado, mas há fãs que especulam que Dina já apareceu na primeira temporada. Há uma rapariga que olha, curiosa, de relance, para Ellie em Jackson, a comunidade do irmão de Joel. A atriz Paolina van Kleef está apenas creditada como “rapariga que olha”, mas muitos acreditam que possa ser Dina.

Leia a crítica da NiT à primeira temporada de “The Last of Us”. Leia também este artigo da NiT sobre a jornada de Pedro Pascal — o  ator de 47 anos foi refugiado antes de chegar a Hollywood. Descubra também como Bella Ramsey, que brilhou em “A Guerra dos Tronos” com 12 anos, foi escolhida para ser co-protagonista de “The Last of Us”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT