Subscreva a nossa newsletter para receber as melhores sugestões de lifestyle todos os dias.

Televisão

Tem saudades de “Mad Men”? Então tem de conhecer esta nova série, “Industry”

O que aconteceria se metessem um grupo de miúdos loucos num escritório poderoso da alta finança? Este é o possível resultado.
Jovens e (perigosamente) ambiciosos.

O escritório costuma ser um cenário certeiro para desenvolver uma série. No mesmo espaço, colocam-se desafios do trabalho, mas também toda uma dinâmica de relações entre personagens. Há rivalidades, amores, disputas e conversas sobre o que se passará quando a porta de um gabinete é fechada.

Esta dinâmica tanto dá para um clássico de humor como “The Office”, em que o próprio espaço é em si uma piada, mas como base para algo maior. “Mad Men”, neste aspeto, foi série que se destacou, com sete temporadas em que no tal escritório em Manhattan havia sempre muito a acontecer.

Vale a pena lembrar esta premissa com a chegada de “Industry”, nova produção da HBO e da BBC, disponível a partir desta terça-feira, 10 de novembro, na HBO Portugal. “Mad Men” tem sido foco de comparações, não só na crítica especializada mas também nos fóruns, com o detalhe de os cabelos grisalhos que faziam mover montanhas em “Mad Men” terem sido aqui substituídos por sangue novo com uma causa em comum: a de fazer dinheiro. O “Independent” chama-lhe mesmo a versão millennial de “Mad Men”.

“Industry” é a criação de dois antigos banqueiros, Mickey Down e Konrad Kay, e coloca-nos num banco de investimento fictício, o Pierpoint & Co. Este banco situa-se na poderosa e cinzenta City, o centro da alta finança em Londres, a capital britânica.

É aqui que vamos conhecer um grupo bem diversificado de jovens a dar os primeiros passos num mundo onde se trocam e se perdem milhões de euros como quem troca de camisa ou perde as chaves de casa. O dinheiro aqui é um ponto fulcral, acima de tudo para percebermos como tudo o resto parece não importar. Tanto faz com quem se relacionam, por quem se apaixonam, de onde vêm ou o que gostam de fazer, desde que a tal capacidade de faturar se mantenha.

O primeiro episódio foca-se em entrevistas de emprego e é uma forma simples e direta de apresentar o jovem elenco que iremos acompanhar nesta primeira temporada. São escolhas curiosas, a começar pelo facto de serem pouco conhecidos do grande público. Will Tudor, com uma breve passagem por “A Guerra dos Tronos”, será provavelmente o rosto mais conhecido — e mesmo assim só para os fãs da série com melhor memória.

Na verdade, é atrás das câmaras que encontramos alguém com o currículo mais extenso, com Lena Dunham, a criadora de “Girls”, a surgir aqui como produtora executiva e realizadora do episódio piloto.

Uma série de gente jovem.

“Industry” não se fixa apenas no escritório do tal banco de investimento. Boa parte da ação irá distribuir-se entre bares, carros da Uber ou até casas de banho. A cultura ultra-competitiva abre caminho a outras coisas daquele mundo que podemos esperar, como sexo, drogas e trabalho a mais, tudo combustível para ganhar mais dinheiro.

Estamos, é certo, longe da espiral auto-destrutiva e por vezes hilariante de Leonardo DiCaprio em “O Lobo de Wall Street” (afinal, não é Martin Scorsese quem quer). A razão principal é que o foco de “Industry” está naquele grupo de miúdos, com backgrounds bem diferentes, mas todos juntos.

Há aqui espaço para momentos de humor mas também para facadas nas costas para se ficar bem visto aos olhos do patrão. Há, acima de tudo, espaço para excessos, tanto no local de trabalho como fora dele. Não é acaso as comparações não se ficarem apenas por “Mad Men”. Também “Skins”, a série de adolescentes sempre à beira do limite, tem sido referida.

Pela frente, estes novatos na alta finança de “Industry” têm a bandeira da meritocracia mas no mundo real as coisas nunca são tão simples. Género, cor da pele e classe social, tudo é relevante. A que se juntam ainda os dilemas individuais de cada um deles. Se há moral nesta Londres onde o dinheiro é tudo, é algo que ainda vamos descobrir.

Além de Will Tudor, a série conta no elenco com atores jovens, também eles a darem os primeiros passos numa grande produção, como Myha’la Herrold, Marisa Abela, Harry Lawtey, Freya Mavor ou Nabhaan Rizwan, entre outros.

Esta primeira temporada de “Industry” conta com oito episódios, cada um com cerca de uma hora de duração. Depois do lançamento do primeiro nesta terça-feira, na HBO Portugal, podemos esperar um capítulo novo por semana durante os próximos tempos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT