Televisão

“The Loudest Voice”: a viciante série que passou despercebida em Portugal

Está disponível na plataforma de streaming da HBO e baseia-se numa escandalosa história real. Tem apenas sete episódios.
Russell Crowe é o grande protagonista.

É possível que tenha visto, ou simplesmente ouvido falar, ou mesmo que só tenha reparado nos posters na rua, quando recentemente estreou em Portugal “Bombshell — O Escândalo”, filme envolto em algum buzz que até ganhou um Óscar na mais recente edição dos prémios de cinema.

Baseia-se num escândalo sexual da vida real que envolve a Fox News e o seu fundador, Roger Ailes. A mesma história é contada em maior detalhe numa série da Showtime chamada “The Loudest Voice”, que em Portugal pode ser vista na plataforma de streaming da HBO. No total, tem sete episódios.

Em 2014, foi publicada uma biografia de Roger Ailes chamada “The Loudest Voice in the Room” — quase o mesmo título desta minissérie que tem Russell Crowe como protagonista, sendo que o autor neo-zelandês transformou-se completamente ao ganhar imenso peso para fazer a personagem de Ailes.

Durante muitos anos, Ailes foi um consultor político republicano muito procurado. Ajudou nas campanhas que elegeram Ronald Reagan e George W. Bush, e foi conselheiro de Richard Nixon e Donald Trump.

Só no início dos anos 90 é que Roger Ailes entrou a fundo no mundo da televisão. Trabalhou na CNBC e, em 1996, o magnata dos media Rupert Murdoch contratou-o para juntos lançarem a Fox News. Por sua vez, Ailes fez acordos com diversos comentadores conservadores, atribuindo de imediato esta conotação ao canal.

A Fox News foi responsável por instigar rumores e notícias que fossem prejudiciais às administrações democratas, sobretudo a de Barack Obama. O canal lançou, por exemplo, a dúvida que virou notícia sobre a naturalidade de Obama. E referiam-se sempre ao presidente americano na altura como Barack Hussein Obama (o seu nome completo), para o tentarem associar a inimigos dos EUA, como Saddam Hussein. Por causa disso, a Fox News sempre foi muito criticada.

Ainda assim, teve sucesso. Muito sucesso. Tornou-se numa das estações de televisão com mais espectadores nos EUA — em média, havia dois milhões de pessoas a ver o canal todos os dias em 2016, quando Ailes saiu da empresa.

No entanto, esta série, tal como o filme “Bombshell — O Escândalo”, é sobre o outro lado negro da Fox News — sobre aquilo que se passava internamente e que muito pouca gente sabia. Falamos, claro, dos assédios sexuais sistemáticos que aconteciam dentro da empresa.

Roger Ailes escolhia a dedo as pessoas que apareciam no seu canal à frente das câmaras — com uma grande tendência para mulheres magras e loiras. Além disso, as secretárias tinham de ser transparentes para que as suas pernas estivessem sempre visíveis. As mulheres eram encorajadas a usar saias em vez de calças.

No livro que serviu de base para esta série, uma produtora da Fox News que preferiu não revelar a sua identidade disse que Ailes lhe tinha oferecido mais 100 dólares (o equivalente a 90€) por semana se ela aceitasse ter relações sexuais com ele sempre que ele quisesse.

Dois anos depois, a apresentadora Gretchen Carlson acusou Roger Ailes de “assédio sexual grave e persistente” e de, ao mesmo tempo, prejudicar propositadamente a sua carreira, ao suspender o seu aumento de salário e ao alterar o seu programa para horários com menos audiência, depois de ela recusar ter relações sexuais.

Carlson explicou ainda que, quando confrontou Ailes, ele respondeu: “Penso que tu e eu deveríamos ter tido uma relação sexual há muito tempo e estarias bem e melhor e eu estaria bem e melhor se isso tivesse acontecido”.

Mais tarde, Gretchen Carlson foi despedida. No entanto, a sua ação foi determinante para que tantas outras mulheres se chegassem à frente e denunciassem o que estava a acontecer (e os casos em que tinham estado envolvidas).

Internamente, vários executivos de topo — homens — ajudavam a encobrir os assédios de Roger Ailes e alguns deles tinham comportamentos semelhantes. A investigação interna conduzida na Fox News só avançou porque foi aprovada pelos filhos de Rupert Murdoch, Lachlan e James, que se tinham desentendido com Ailes por causa de outros assuntos mais corporativos.

De qualquer forma, o problema desenvolveu-se num grande processo judicial, com campanhas difamatórias entre ambos os lados, e Roger Ailes acabou por se demitir do cargo em 2016, 20 anos depois de ter fundado a Fox News. Tornou-se um conselheiro pessoal de Donald Trump até morrer, em 2017, depois de uma queda na sua casa no estado da Flórida.

“The Loudest Voice” relata toda esta história real e o elenco inclui ainda Naomi Watts, Seth MacFarlane, Sienna Miller, Annabelle Wallis, Simon McBurney, Josh Stamberg, Rod McLachlan e Aleksa Palladino, entre outros. A série passou despercebida em Portugal, mas vale a pena dar pelo menos uma oportunidade.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT