Televisão

“The Staircase”: afinal, Michael Peterson matou ou não a mulher?

É nesta e noutras questões que se centra a nova série de Colin Firth. Relata uma história real, já contada em documentário.
Colin Firth e Toni Collette interpretam o casal.

Alimentado pelas plataformas de streaming como a Netflix ou a HBO, pelos podcasts ou pelos canais temáticos próprios (como o ID — Investigation Discovery ou o Crime + Investigation, em Portugal), o género televisivo das séries documentais sobre crime é cada vez mais popular.

Não existe uma produção específica que tenha criado ou impulsionado este fenómeno. Mas uma das mais destacadas do género, por ter tido um papel inovador numa altura em que estes projetos ainda não abundavam, é “The Staircase”

Estreou em 2004 e, com as atualizações que foram existindo na vida real, chegaram novos episódios em 2013 e 2018. A versão mais recente conta com 13 capítulos e está disponível na Netflix. A partir desta quinta-feira, 5 de maio, a história volta a ser contada em “The Staircase”, a série. São oito episódios para ver na plataforma de streaming da HBO Max.

Michael Peterson, escritor e ocasional candidato político local, vivia com a mulher, Kathleen, no estado americano da Carolina do Norte. Em dezembro de 2001, Peterson ligou para o número de emergência: a mulher tinha caído das escadas na casa onde viviam e morreu.

Não demorou muito até ser detido pela polícia pelo homicídio da mulher. Mas será que Michael Peterson é um assassino a sangue frio? Ou também foi vítima das autoridades, que não gostavam das críticas que fazia na sua coluna num jornal local?

A pergunta talvez nunca seja verdadeiramente respondida, por mais contexto que haja, uma vez que só estavam duas pessoas em casa naquela noite. A série documental realizada por Jean-Xavier de Lestrade ofereceu muita informação, recolhida de forma exaustiva, mas nunca chegou a uma conclusão definitiva. O mesmo acontece, claro, com esta série ficcionada — mas inevitavelmente são abordadas no enredo outras questões.

O processo legal demorou anos, teve avanços e recuos e levou a que Michael Peterson cumprisse uma pena de prisão — mas nunca ficou verdadeiramente provado o que tinha acontecido. Certo é que Peterson, hoje com 78 anos, tem um lado obscuro. Uma série de contradições moldam a sua vida e personalidade.

Por um lado, é um escritor intelectual e introspetivo; um homem de família com vários filhos; um líder comunitário. Por outro, é um mentiroso compulsivo e narcisista, com uma personalidade de contornos bizarros, que tinha casos extraconjugais com vários homens. Alegadamente, Kathleen sabia dessas experiências de Michael e aprovava. Mas, naturalmente, a mulher nunca pôde atestar isso em tribunal.

Colin Firth interpreta as muitas nuances deste homem, que nunca é retratado nem como maléfico nem como uma personagem particularmente empática. Está num limbo misterioso e obscuro difícil de decifrar. A mulher é interpretada por Toni Collette, sendo que a série alterna entre múltiplas linhas temporais.

Além de relatar todo o complexo processo em tribunal, e as diferentes fases do caso, “The Staircase” também mostra como o documentário de Lestrade foi feito. A série pode ter tido influência real (e determinante) na forma como Michael Peterson é percepcionado, ainda que os cineastas pudessem não ter essa intenção e exista sempre uma aura de ambiguidade em torno da sua figura.

Mais do que o caso, a série documental também faz um retrato do estado da justiça americana — burocrática, labiríntica, por vezes corrupta ou incompetente, com falhas suficientes para condenar cidadãos inocentes a penas de prisão, com dificuldades em provar a culpa para lá da dúvida razoável.

Uma das diferenças entre a produção documental e a série é que este novo projeto aborda mais a perspetiva dos filhos. Nem todos tomaram a mesma posição e se mantiveram do lado do pai ou padrasto — sendo que Michael e Kathleen não tiveram filhos em comum. Eram todos fruto de casamentos anteriores, sendo que alguns tinham sido adotados.

O elenco de “The Staircase” inclui ainda Sophie Turner, Michael Stuhlbarg, Patrick Schwarzenegger, Odessa Young, Rosemarie DeWitt, Olivia DeJonge ou Vincent Vermignon. Os episódios foram realizados por Antonio Campos e Leigh Janiak.

Carregue na galeria para conhecer outras das novidades das plataformas de streaming e dos canais de televisão.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT