Televisão

Toda a gente quer descobrir a verdadeira stalker de “Baby Reindeer”

Os espectadores tornaram-se perseguidores. O próprio Richard Gadd já implorou para pararem de tentar descobrir a identidade real de Martha.
A stalker real desmentiu toda a história da série estreada este ano.

Assim que chegou à Netflix, a 11 de abril, a minissérie “Baby Reindeer” tornou-se um fenómeno e chegou ao top das séries mais vistas da plataforma de streaming. Os espectadores ficaram cativados pela história chocante (e verídica) de Richard Gadd, um comediante que está a ter dificuldades na carreira quando começa a ser perseguido por uma mulher mais velha: Martha, interpretada por Jessica Gunning.

A produção nasceu do trauma do ator, vítima ele próprio de uma perseguição de uma fã obcecada. Adormecia com as mensagens de voz da stalker na cabeça e com as mensagens a passarem-lhe à frente dos olhos. “Com o passar do tempo, percebi que ela era uma pessoa muito vulnerável que precisava de ajuda. Era essa a verdade que eu queria trazer para o ecrã”, disse o ator de 34 anos à revista “Hello”.

Richard começou a ser perseguido por Martha (um nome falso) após lhe ter oferecido uma chávena de chá num bar em que trabalhava. Este rápido encontro deu início a uma obsessão doentia. Ao longo de cinco anos, o ator recebeu 40 mil emails, 350 horas de voicemails e 100 páginas de cartas.

Antes de ser uma longa-metragem, “Baby Reindeer” era uma peça de teatro também encabeçada por Gadd, que se inspirou na sua própria história. O objetivo era representar este crime de uma forma diferente, sobretudo pelo impacto que nele têm as doenças mentais.

“O stalking na televisão tende a ser muito sexual e é sempre muito místico. É alguém num beco escuro, alguém muito sexy, mas que depois fica estranho aos poucos”, contou. “Mas perseguir alguém é fruto de uma doença mental. Eu queria mostrar todas estas camadas que nunca tinha visto na televisão.”

O que Richard Gadd não estava à espera, contudo, era de ver os fãs da série completamente obcecados em descobrir a verdadeira identidade de Martha. Para muitos, pode ser uma investigação inofensiva, mas, para outros, pode evoluir para uma obsessão doentia que tem potencial de evoluir para algo muito mais sinistro. É isso mesmo que está a acontecer desde o lançamento de “Baby Reindeer”: os próprios espectadores tornaram-se perseguidores de uma stalker.

Apesar do trauma que sofreu, Gadd nunca revelou o nome verdadeiro da rapariga e mudou de propósito detalhes importantes sobre ela para o projeto de Netflix. “Fizemos tanto esforço para disfarçá-la que acho que nem ela se reconheceria”, contou à “GQ”. 

O ator também disse à “Variety” que queria manter certas informações sobre Martha anónimas e admite que a personagem da série e a stalker da vida real são pessoas bastante diferentes. “O que eu precisava de ver era a essência da pessoa, o tipo de energia. Precisava de alguém que estivesse vulnerável num momento, irritada no seguinte, volátil, mas tão desesperado e solidário”, explicou.

Apesar de todos os esforços para proteger o anonimato, nem isso impediu os “detetives da Internet” de embarcarem numa investigação para tentar descobrir a verdadeira identidade da personagem retratada na série. Basta ver as pesquisas do Google para perceber que “Martha Baby Reindeer” atingiu um recorde histórico de pesquisa no dia 21 de abril, no Reino Unido. 

Além de Martha, muitos fãs querem descobrir a verdadeira identidade de Darrien (interpretado por Tom Goodman-Hill), um dos seus ídolos, que o leva no caminho do consumo de drogas. Da cocaína ao crack, depois à heroína. Cada vez mais vulnerável, sobressai o comportamento predatório do argumentista, cujo modus operandi consistia em drogar os assistentes para se aproveitar deles.

Donny achou que se tratava apenas de uma piada. Mas era verdade. Quando acorda com a perna do guionista em cima da sua, percebe que não é apenas uma brincadeira. Com medo de perder tudo o que alcançou, o bartender mantém a amizade com o mentor. Eventualmente, toma uma dose demasiado elevada de ácidos, perde os sentidos e, quando acorda, percebe que foi violado. “Gostava de dizer que me fui embora, mas fiquei durante muitos dias depois disso”, ouve-se uma voz dizer.

Vários fãs no TikTok e no Reddit já avançaram com algumas teorias (sem provas) e admitem que conhecem o diretor, escritor, comediante e ator britânico que inspirou o personagem fictício de Darrien. “Podemos, por favor, colocar energia para encontrar o Darrien da vida real? Porque, a menos que tudo isto seja fictício, provavelmente ainda está a trabalhar na indústria e tem uma longa lista de vítimas”, escreveu um dos utilizadores do Reddit.

Outro, acrescentou: “Estou bem em não saber quem é a Martha, talvez porque a sua representação às vezes fosse bastante simpática. Mas ela também teve que responder pelos seus problemas em algum momento. Darrien basicamente safou-se e ainda pode estar a fazer porcaria”.

Nas redes sociais, muitos começaram a acusar o amigo de Gadd, Sean Foley, de ser o verdadeiro stalker. As acusações constantes fizeram com que contactasse a polícia por estar a ser acusado injustamente, após várias publicações online serem consideradas “difamatórias, abusivas e ameaçadoras”. 

Depois desta situação, Gadd implorou aos espectadores para deixarem de especular sobre as pessoas reais por trás das personagens da série, uma vez que esse não era o objetivo. “Pessoas que amo, com quem trabalhei e admiro (incluindo Sean Foley) estão a ser injustamente apanhados em especulações. Por favor, não tentem descobrir sobre quem poderiam ser as pessoas da vida real. Esse não é o objetivo da série”, escreveu no Instagram.

A verdade é que nem o próprio protagonista sabe onde está Martha atualmente. Apesar de na série ter sido condenada a nove meses de prisão, na vida real, o desfecho foi diferente. Gadd não queria que a mulher fosse para a prisão com problemas psicológicos e, ao que tudo indica, tudo ficou resolutivo com uma ordem de restrição.

“Está resolvido. Tinha sentimentos confusos sobre isso, não queria mandar para a prisão alguém com esse nível de sofrimento mental”, disse ao “The Times”.

Em setembro de 2019, quando a peça de teatro estreou, o ator já tinha revelado que Martha estava em liberdade, mas que só começou a respeitar a ordem de restrição e a deixar de assediar os seus amigos e familiares recentemente. Gadd acredita que ter visto “Baby Reindeer” a fez pensar duas vezes sobre o seu comportamento.

A mensagem no Instagram.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT