« Tome nota das melhores séries que vão estrear em 2020

“Bridgerton”, Netflix

Depois de ter criado séries como “Anatomia de Grey”, “Scandal” ou “Como Defender um Assassino” — entre tantas outras — a americana Shonda Rhimes assinou um contrato milionário e exclusivo com a Netflix para desenvolver oito novas produções para a plataforma de streaming.

O primeiro projeto a sair deste acordo chama-se “Bridgerton” e já há vários detalhes. Poderá ser uma boa sugestão para os fãs de “Downton Abbey”, já que se trata de um drama romântico e histórico que se foca numa família da Inglaterra do século XIX. Estreia algures em 2020 e baseia-se nos bestsellers de Julia Quinn com o título “The Bridgertons”. A saga já tem oito livros, cada uma centrada numa personagem diferente — e a primeira temporada baseia-se apenas no primeiro volume, “The Duke and I”. Ou seja, se os resultados forem bons é bastante possível que esta seja uma produção longa, com muitas temporadas.

A temporada de estreia terá oito episódios — cada um com cerca de uma hora. O imaginário é o da classe alta de Londres. A família Bridgerton tem oito irmãos muito próximos — e toda a história gira à volta dos romances de cada um, os casamentos arranjados entre lords e ladies e as aventuras amorosas, sejam em palácios nobres ou em bailes de aristocratas (se bem que provavelmente haverá alguns desvios mais plebeus).

Um dos grandes destaques de “Bridgerton” é que Julie Andrews faz parte do elenco. A atriz premiada de 83 anos, que conhecemos tão bem de “Mary Poppins” ou “Música no Coração”, vai dar voz à narradora Lady Whistledown. Whistledown é uma mulher misteriosa e anónima que usa os conhecimentos que tem para escrever fofocas e boatos que mexam com os círculos mais ricos e importantes de Londres — é através dela que vamos ter acesso a muitos dos acontecimentos do enredo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT