Televisão

Tribunal já libertou a apresentadora Ana Lúcia Matos, detida por fraude fiscal

A figura pública foi detida na terça-feira por estar envolvida num esquema de fraude a nível europeu que ocultou mais de 2200 milhões de euros.
Ostentava uma vida luxuosa.

A apresentadora Ana Lúcia Matos, juntamente com outras 13 pessoas, foi detida na terça-feira, 29 de novembro, por estar envolvida num esquema de fraude a nível europeu que ocultou mais de 2200 milhões de euros. A figura pública de 36 anos, que se tornou numa estrela do Instagram devido aos looks luxuosos e viagens exóticas, esteve na cadeia a aguardar as medidas de coação, mas já foi libertada.

O juiz do Tribunal de Instrução Criminal do Porto ordenou, na sexta-feira, 3 de dezembro, a libertação de oito dos 14 arguidos da Operação Admiral, entre os quais Ana Lúcia Matos, segundo o “Jornal de Notícias”. A decisão foi tomada na sequência da posição do Ministério Público, que não pediu prisão preventiva para a apresentadora.

Seis arguidos continuam detidos, incluindo o marido da figura pública, Max Cardoso, que também foi apanhado na teia de fraude e fuga ao fisco. Na próxima terça-feira, 6 de dezembro, às 11 horas, os 14 suspeitos vão voltar a estar presentes numa sessão onde serão conhecidas as medidas de coação.

A operação levada a cabo pela Polícia Judiciária — e que teve ramificações noutros países europeus — levou os agentes, segundo o “Correio da Manhã”, até à mansão de Ana Lúcia Matos. Acordada de sobressalto pelas sete da manhã, terá sido confrontada com dois mandados de detenção, um em seu nome e outro no nome do marido, Max Cardoso.

O casal, que vivia numa moradia na Aroeira, foi detido e acusado de fazer parte de um esquema de fraude a nível europeu. Sob o nome de Operação Alibi, a detenção está inserida numa mega-operação relacionada com uma fraude no IVA. Segundo as autoridades, o esquema terá lesado os contribuintes europeus em perto de 2200 milhões de euros.

Em Portugal, além de Ana Lúcia Matos e Max Cardoso, terão sido identificadas mais 12 pessoas de nacionalidade portuguesa e francesa. As buscas, que terão decorrido na sua maioria em Portugal, resultaram na apreensão de mais de dois milhões em dinheiro, veículos de luxo, mais de 40 imóveis e mais de 600 contas bancárias.

Segundo a Procuradoria Europeia, o caso revela “a maior fraude carrossel em matéria de IVA jamais investigada na União Europeia”. Neste esquema estarão envolvidas várias dezenas de empresas nacionais. Leia sobre a obsessão de Ana Lúcia Matos pela fama e o que motivou todas as suspeitas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT