Televisão

“Vento Norte”: conheça a nova série portuguesa da RTP

Estreia esta quarta-feira, 14 de abril, e é um romance histórico num Portugal à beira da ditadura.
Estreia às 21 horas.

A RTP1 continua a apostar na ficção portuguesa e a mais recente produção é “Vento Norte”, que estreia esta quarta-feira, 14 de abril, pelas 21 horas. Está a ser apresentado como um “romance histórico”, com bastante drama e intrigas pelo meio.

A partir de uma ideia original do argumentista João Lacerda Matos, do ator e encenador Almeno Gonçalves e do realizador João Cayatte, esta série acompanha uma família abastada de Braga. Vamos descobrindo os membros da família Mello, e dos seus empregados, com um cenário histórico de fundo.

A narrativa baseada em factos verídicos arranca em 1919, durante a Primeira República, e culmina no golpe de 1926, que instala a Ditadura Militar, que, mais tarde, se tornaria no Estado Novo de António de Oliveira Salazar. E também se estabelece esse contraste entre o período autoritário em Portugal e os loucos anos 20 pelo mundo fora.

A ideia é fazer um retrato destes anos atribulados para o nosso País, cerca de um século depois, através dos olhos de uma família privilegiada e aristocrata do Minho (e dos seus criados). O enredo promete cruzar segredos e tramas políticas com amores impossíveis e grandes paixões. A história acontece em Braga, Arcos de Valdevez, Amares ou junto do rio Cávado, entre outros locais na região.

Além de Almeno Gonçalves, o elenco vasto inclui nomes como Joana de Verona, Ana Zanatti, Rodrigo Tomás, Natália Luiza, Iris Cayatte, Sisley Dias, António Melo, Teresa Faria, Margarida Carpinteiro e Ruben Rios, entre outros, vários dos quais atores locais.

Almeno Gonçalves interpreta Afonso Mello, o patriarca da família, um homem ligado à monarquia. Fez parte do governo de João Franco como deputado em Lisboa e está associado aos principais empresários da região que fizeram a transição para o novo regime político.

Enquanto tem uma profunda admiração e cuidado com a sua região, olha com desconfiança para aquilo que se passa na capital. É assim que se torna envolvido numa conspiração que do norte do País vai levar os portugueses ao golpe que irá instaurar a Ditadura Militar.

Para ele, a participação na Grande Guerra, que levou à morte de muitos combatentes portugueses, foi um exemplo perfeito de tudo aquilo que está errado com a república. O contexto fá-lo ansiar pela mudança, mas esta personagem esconde um grande segredo.

Natália Luiza interpreta a sua mulher, Isabel Mello. Ao contrário do marido conservador, Isabel é uma mulher liberal, moderna e ligada às artes de Lisboa, onde conheceu Afonso. A vida em Braga não a realiza e sente-se oprimida pelo cenário ultra religioso que ali se vive. Por isso, raramente sai do solar onde a família habita e tem o forte apoio dos três filhos, Tomaz, Ricardo e Margarida.

Tomaz Mello tem 28 anos e acaba de voltar da guerra, para onde foi contra a vontade do pai. Regressou com sequelas e é o herdeiro da fortuna e das propriedades da família, apesar de ser um enfant terrible para Afonso. Tomaz tem uma paixão pela empregada Joana.

Rodrigo Tomás faz de Ricardo Mello. É um conservador como o pai, tem uma forte ligação à igreja e nunca gostou de estudar. Apesar disso, é mais próximo dos empregados do que dos pais. Afonso detesta que ele tenha uma paixão por um “desporto de brutos” chamado futebol.

Patrícia Pinheiro interpreta a irmã do meio, Margarida Mello. Vive em Lisboa, com uma tia que a educa com os bons valores nortenhos, mas não gosta de Braga. Tal como a mãe, é liberal e sente uma ligação à cultura urbana e artística da capital. Contudo, vai ter de voltar ao Minho após o regresso de Tomaz da guerra.

Além das figuras centrais do enredo, uma série de outras personagens da cidade de Braga vão completando a história, sejam agricultores, prostitutas, padres, pequenos burgueses ou operários.

Carregue na galeria para conhecer outras séries que estreiam este mês de abril na televisão ou nas plataformas de streaming.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT