Televisão

Vídeos de soldado russo capturado mostram a sua vida antes e durante a guerra

Yuri Shalayev é o autor das imagens que foram disponibilizadas pela imprensa ucraniana. O resultado é uma espécie de documentário.
A guerra começou no final de fevereiro.

O formato de found-footage tem sido bastante usado no cinema ao longo dos anos — sobretudo para contar histórias de terror. “O Projecto Blair Witch” foi um fenómeno em 1999, “Holocausto Canibal” tornou-se um polémico filme de culto depois de estrear em 1980.

Houve ainda “Actividade Paranormal”, “[Rec]”, “Grave Encounters” ou “Nome de Código: Cloverfield”. E o género de found-footage ainda foi usado noutro tipo de narrativas, como na comédia adolescente “Projecto X: Fora de Controlo”, entre outros.

Agora, foi publicado um verdadeiro formato de found-footage, “The Occupant” — uma compilação de vídeos, que talvez possa ser considerado um documentário, a partir de imagens gravadas pelo telemóvel de Yuri Shalayev, soldado russo que foi capturado na invasão à Ucrânia.

As imagens foram partilhadas pelo jornal ucraniano “Ukrainian Pravda”. Começam em maio de 2021, dez meses antes do início da guerra, e terminam em abril deste ano, com um vídeo captado pouco antes de Shalayev ser feito prisioneiro.

As imagens são mostradas de forma crua — só há um contexto temporal para o espectador perceber em que fase se encontra e, no início e no fim, alguma informação complementar sobre este soldado. Através de vídeos da sua vida privada, vamos descobrindo que é um jovem nascido em 1998 com uma filha, com uma tendência para beber bastante e para celebrar com os camaradas e a família.

Vemo-lo divertido a andar de barco, numa discoteca, num estádio de futebol ou a cantar músicas no carro. Estudou na Higher Command School de Moscovo e faz parte de uma unidade de infantaria de elite que foi colocada na Chechénia.

Um dos vídeos mostra um habitante local, um checheno com provavelmente mais 40 anos de vida do que Shalayev, a criticar a presença russa na região. Explica que eles só querem ser deixados em paz, que têm uma mentalidade diferente, que querem ser um país independente e estão fartos de ser melindrados pela Rússia. Acaba por representar o sentimento partilhado pelos ucranianos e outros povos periféricos do território russo.

Durante todos os 24 minutos de “The Occupant”, não vemos Yuri Shalayev a agredir ou a maltratar ninguém — mas, afinal, foram só imagens captadas pelo próprio no seu telemóvel. Também o acompanhamos no início da invasão à Ucrânia.

Shalayev filma vídeos nas terras desoladas e destruídas do leste ucraniano. Grava imagens no interior do tanque onde viaja e dos colegas feridos de guerra ao seu lado, que foram atingidos por balas da resistência ucraniana. Vai-se filmando e falando para a câmara, muitas vezes de forma descontraída, como se não se apercebesse da gravidade do que está a acontecer — e dos crimes que está a cometer em nome do seu país.

Eventualmente, o seu tanque é destruído e a zona onde está escondido fica repleta de soldados ucranianos. Não é difícil de adivinhar o que acontece a seguir: apesar de naturalmente não haver imagens do momento, Yuri Shalayev é detido pelos militares ucranianos. É assim, claro, que todos os vídeos chegam às mãos da imprensa.

Com legendas em inglês, “The Occupant” está a ser um fenómeno de popularidade. No YouTube foi publicado a 11 de maio e já soma mais de dois milhões e duzentas mil visualizações, com quase dez mil comentários.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT