Televisão

“Y: O Último Homem”: nesta série da Disney+ quase todos os homens do mundo desapareceram

Todos os seres vivos com cromossoma Y foram misteriosamente dizimados. Agora, há a oportunidade de construir um mundo melhor.
Tem uma premissa única.

Várias e cada vez mais têm sido as séries sobre um mundo pós-apocalíptico. Ainda recentemente, em junho, a Netflix lançou “Sweet Tooth”, uma série baseada em bandas desenhadas da DC onde uma doença dizimou milhões de pessoas e deu origem a humanos híbridos (metade animais, metade pessoas). Agora, foi a vez da Disney+ apostar nesta temática, com o lançamento de “Y: O Último Homem”. A série estreou em Portugal nesta quarta-feira, 22 de setembro, e já disponibilizou os três primeiros episódios na plataforma de streaming.

À semelhança de “Sweet Tooth”, este projeto também é baseado numa banda desenhada da DC com o mesmo título, publicada entre 2002 e 2008. A premissa é bastante simples (e única). Nesta produção original da FX, todos os seres vivos com o cromossoma Y foram dizimados, excetuando Yorick Brown (Ben Schnetzer), um homem cisgénero, e Amperstad (ou Amp), o seu macaco de estimação. Vamos acompanhar os sobreviventes enquanto tentam restaurar o que perderam, sendo-lhes agora oferecida a oportunidade de criarem um mundo melhor.

As mulheres constituem grande parte da equipa — tanto à frente como atrás das câmaras. Nos primeiros episódios percebemos que uma das personagens mais cruciais da história será a Agente 355 (Ashley Romans), que tenta perceber o porquê de Yorick e Amperstad terem sido os únicos a fugir à “regra” da dizimação. 

No elenco feminino juntam-se também Jennifer Brown (Diane Lane) — a presidente dos Estados Unidos e a mãe de Yorick Brown —, Hero Brown (Olivia Thirlby), a irmã do único homem cisgénero na Terra, entre outras.

As questões de género serão bastante abordadas na série, visto que há outro homem entre os sobreviventes. Sam Jordan, interpretado por Elliot Fletcher, é um homem transgénero que, visto que não tem o cromossoma Y, sobreviveu. 

“Y: O Último Homem” terá dez episódios e Eliza Clark, uma das produtoras, revelou numa entrevista ao “Polygon” que planeia criar cinco ou seis temporadas. “Sem revelar nada, as bandas desenhadas são uma ótima base, mas a série vai ter as próprias reviravoltas. Falando no geral, sinto que para a televisão o melhor são mesmo cinco temporadas”, adianta.

Clark co-produz o projeto ao lado de Nina Jacobson, Brad Simpson, Mari Jo Winkler-Ioffreda, Brian K. Vaughan e Pia Guerra (o guionista e a ilustradora da banda desenhada).

Pode carregar na galeria para descobrir quais as novas séries (e temporadas) que serão lançadas até ao fim de setembro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT