Alimentação Saudável

Cenouras baby: vale mesmo a pena comer ou ficam só melhor no prato?

A nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida ajudou a NiT a fazer a radiografia à cenoura baby.
Pequenas e saborosas.

Crua, inteira ou ralada numa salada, às rodelas num estufado, numa sopa ou até como ingrediente saudável num bolo. A cenoura é uma das mais versáteis soluções que a terra nos dá. É algo que faz parte da gastronomia desde os tempos da Grécia antiga e figura habitual na elogiada dieta mediterrânica. E é um daqueles casos em que a tal versatilidade à mesa se faz acompanhar de vários benefícios.

“Os efeitos benéficos associados à dieta mediterrânica devem-se sobretudo à sua riqueza em vitaminas e compostos antioxidantes como os carotenoides, presentes principalmente nas frutas e vegetais, como a cenoura”, realça à NiT a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida.

No entanto, a cenoura tem cada vez mais competição em ponto pequeno. Se há uns anos ainda eram pouco comuns, hoje em dia as cenouras baby são presença habitual em qualquer secção de frescos num supermercado.

A juntar àquilo que qualquer cenoura nos dá, têm a seu favor este lado mais pequeno que lhes permitem serem um snack super simples de levar para qualquer lado. E o tal lado baby tem até o apelativo extra de atrair os mais novos para opções mais saudáveis.

Tínhamos, no entanto, esta dúvida: afinal as cenouras baby são em tudo iguais às cenouras normais, apenas em ponto pequeno. Ou falamos mesmo de algo com características diferentes?

Como nota a autora do “Loveat”, a cenoura “tem vindo a destacar-se cada vez mais nos últimos anos, não só a cenoura normal, mas também as cenouras baby, como complemento de lanches rápidos, práticos e nutritivos.”

“As cenouras baby são, tal como as cenouras normais, ricas em nutrientes, principalmente vitamina A, fibra e potássio, e são de baixo valor energético”, explica Mafalda Rodrigues de Almeida.

Se olharmos para a comparação do valor nutricional das duas por 100 gramas, “concluímos que as cenouras baby não apresentam um menor valor nutricional por apresentarem um formato mais pequeno”. A tabela abaixo ajuda-nos a perceber isso mesmo.

Comparação para 100g.

Há pequenas variações que se notam. São ligeiramente mais calóricas e têm um pouco mais de hidratos e sal. Perdem um pouco em termos de vitamina C mas têm também um pouco mais de fibra, vitamina A e caroteno.

Mafalda Rodrigues de Almeida explica que esta tendência para o consumo das cenouras baby tem vindo a aumentar e não é só pelas crianças. Os adultos também têm mostrado apreciar a tal cenoura em ponto pequeno.

“Pensa-se que seja sobretudo pela conveniência ou por simplesmente serem engraçadas e práticas de levar nas marmitas seja para o trabalho ou para a escola”, destaca. Seja como for, são mesmo bem vindas.

As cenouras baby têm sido elogiadas pela forma como têm contribuindo assim também para o aumento do consumo de vegetais. “Além disso, como têm um sabor mais adocicado, as crianças adoram”. Sinal de que vieram para ficar. E não, não é só por serem mais engraçadas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT